A A A C
email
Retornando 398 resultados para a tag '5ªcre'

Sexta-feira, 15/06/2018

Projeto Power Senha

Tags: projeto, power senha, matemática, games, gamificação, 5ªcre.

 

 

A Escola Municipal Irmã Zélia está envolvida em um Projeto de matemática Inovador, onde os alunos são desafiados a descobrirem uma senha através de atividades matemáticas. O professor Rafael Costa, idealizador do Projeto, está revolucionando o ensino da matemática nessa escola. Confira!

 

 

O professor de matemática Rafael Costa idealizou o "Projeto Power Senha" com o objetivo de tornar suas aulas diferenciadas onde os alunos participem da construção do conhecimento juntamente com seus companheiros, utilizando jogos matemáticos construídos através de atividades lúdicas, criando uma competição sadia entre eles, aumentando seu interesse e motivação para a participação nas atividades e resolução de tarefas.

 

 

Neste ano de 2018, o professor está desenvolvendo o Projeto na Escola Municipal Irmã Zélia, trabalhando com a turma 1702 Operações Básicas e Operações com números Inteiros., utilizando materiais simples como uma caixa com suporte para cadeado ou algo similar e um cadeado de senha.
 

 

Desenvolvimento do projeto:

O trabalho busca não só a aprendizagem matemática, mas sim o bom relacionamento entre os alunos, a aceitação de opiniões divergentes, e a busca por um resultado comum entre eles. 

Foi construída e personalizada um caixa com encaixe para cadeados e o cadeado utilizado foi um cadeado de senha para que assim pudessemos fazer o desafio. As atividades foram propostas no quadro para que os grupos desenvolvessem e interagissem entre eles de forma com que todos os alunos do grupo estivessem sabendo os resultados dos problemas. Após as resoluções, os alunos tinham que somar todos os resultados encontrados para assim chegar a senha do cadeado. 

 

 

Cabe ressaltar que não bastava resolver os desafios, juntar os resultados e obter a senha do cadeado, pois para terem direito a chegar até ele 2 componentes do grupo deveriam resolver 2 desafios dos já feitos, porém agora no quadro e sem consulta de material. A questão a ser feita era selecionada por mim apenas quando o aluno chegava no quadro e os 2 alunos que iriam fazer eram selecionados por um grupo adversário. Fazendo assim com que os alunos tivessem a preocupação de deixar todos os seus elementos prontos para resolverem, trabalhando como monitores involuntarios dos amigos com maior dificuldade. Caso o grupo não conseguisse executar a tarefa no quadro ficavam 5 minutos congelados sem poder tentar novamente. Os alunos ao irem ao quadro tinha 5 minutos para resolver seu desafio.

Os alunos que conseguiram acessar o cadeado podiam testar sua senha e em caso de êxito recebiam uma recompensa e pontos extras na matéria.

 

Veja a seguir, o vídeo com a gravação da atividade:

 

 

Feedback dos alunos:

Os alunos mostraram muito interesse em participar da atividade, por ser algo que traz uma motivação de competição sadia e por ter componentes que desconheciam, como a utilização do cadeado de senhas que não é algo usual entre eles. Os grupos mostraram muita união e comprometimento na resolução dos exercícios, tentando auxiliar na aprendizagem dos componentes dos grupos, promovendo a monitoria da turma tentando nivelar os conhecimentos para assim diminuir as chances de erros. As turmas que ainda não estão no projeto estão muito motivadas a participarem também.

 

Parabéns ao professor e a escola pelo trabalho realizado com excelência!!! 

 

 

Sobre a escola:

Escola Municipal Irmã Zélia
Diretor: MARGARETE ALVES DOS REIS DE SOUSA
Endereço: Av. Ministro Edgard Romero, 895, Madureira
Telefone: 3457-1006 | 3457-1050
E-mail: emzelia@rioeduca.net  


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 01/06/2018

Projeto "Poetas de Escola" na E. M. Ministro Edgar Romero

Tags: 5ªcre, projeto, poetas, poesia, escola.

 

O projeto "Poetas de Escola" é realizado desde 2014, tendo início na Escola Municipal Rugendas e continuidade na E.M. Ministro Edgard Romero. Confira!

O projeto foi criado e desenvolvido em 2014 pelo professor Leonardo Torres, professor regente de Língua Portuguesa e desde o ano de 2017 conta com a parceria da professora Valquíria de Farias (sala de leitura) da escola Ministro Edgard Romero, na qual contribui no desenvolvimento do projeto e na orientação dos alunos. Inicialmente, a ideia foi realizada em turmas de oitavo ano, entretanto, hoje é feito com todas as turmas, nas quais o professor Leonardo exerce sua regência.

 

 

A ideia de recitar poesias nasceu com o objetivo primário de aprimorar a capacidade de interpretação textual dos alunos, entretanto, tomou proporções maiores.

Hoje o "poetas de escola" tem outros objetivos, tais como: inserção da poesia na vida do aluno; recital aos pais, professores e aos próprios alunos; valorização do trabalho e do aluno da escola pública; formação de novos poetas e, na opinião do professor, o mais importante dos objetivos, o aproveitamento dos poemas como uma forma de expressão pessoal.
 

No final de 2013, o professor Leonardo participou de um curso de poesia falada. A partir desse momento, resolveu experimentar com seus alunos. Em 2014, na escola Rugendas, implementou a poesia como prática em duas turmas de oitavo ano.

 


Os primeiros passos do "poetas de escola" foi a aula sobre poesia falada, na qual o professor mostra como se desenvolve e os alunos escolhem o texto que mais o represente. A partir da escolha, toda semana é feita a roda da poesia e, então um mergulho de forma individual a cada poema escolhido, interpretando os sentimentos ali contidos e trabalhando as nuances desses sentimentos na voz e na expressão corporal.


No princípio todos ficam tímidos, contudo, ao longo das aulas ficam mais íntimos do poema escolhido e passam a falar com mais segurança. Interessante pontuar que é estimulado um clima de silêncio no momento em que o colega fala e aplausos após o término, justificando, respeitando e enfatizando que não é fácil estar na roda recitando.


Ao final do processo, quando todos estão falando com segurança, é marcado o recital. Novas ideias têm surgido com relação aos locais de recital, pois o "poetas de escola" está expandindo, saindo da sala de aula. A ideia é trabalhar, quando possível, a poesia com o grupo desde o sexto ano até o nono. 

 


Dentro do projeto, o professor responsável, ainda, criou uma página no Youtube do "poetas de escola", inclusive para manter contato com os alunos já egressos da escola. Outra motivação para criação do canal é a fala dos ex- estudantes da Unidade que desejam continuar a declamar suas poesias. Dessa forma, o contato foi mantido e houve a possibilidade de rodas de poesia virtuais, além de ser um espaço de divulgação do projeto.

 

 

Clique no link abaixo com o canal do Youtube:

https://www.youtube.com/channel/UCFUiUixt0joOwUG6D-LIqOg/featured 

 

Confira a poesia ''Esse pequeno mundo'' de Pedro Bandeira por Rebeca Souza.

 

 

 

Vale ressaltar que o foco do "poetas" é tornar o aluno protagonista. Desse modo, em muitas situações, um aluno com baixo rendimento nas atividades cotidianas de Língua Portuguesa se destaca nas rodas de poesia. Fazê-lo descobrir essa aptidão diversas vezes é um ponto motivacional, e, justamente, nesse ponto que mora o valor do projeto, na transformação do aluno.

Dentro desse processo, nada e nem ninguém é maior que o aluno, nem a escola, nem o professor,  sem a colaboração e doação do próprio aluno, o sucesso, com certeza, não é possível. Vale pontuar, ainda, que nas duas escolas o apoio ao projeto é irrestrito, o que facilita muito sua execução.

 

Parabéns professor Leonardo, parabéns Poetas de Escola!

 

Sobre a escola:

Unidade Escolar: E/CRE(05.15.055) - Escola Municipal Ministro Edgard Romero 
Diretor: Ana Carla da Silva Ferreira

Endereço: Avenida Ministro Edgard Romero, 31 - Madureira
Telefone: 2464-3715 | 2489-5024 | 2464-3594
E-mail: emromero@rioeduca.net


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 18/05/2018

Projeto “Meu olhar na escola” na E. M. Santos Dumont

Tags: projeto, fotografia, fotográfico, olhar, escola, 5ªcre.

 

A E. M. Santos Dumont, em um trabalho colaborativo, incentivou seus alunos a produzirem suas próprias imagens, utilizando os recursos tecnológicos e registrando momentos significativos do dia a dia. Confira!

 

 

Nome do projeto: Projeto Fotográfico "Meu Olhar"
Data de realização: novembro de 2017
Local: Escola Municipal Santos Dumont

Idealizadora: professora Patricia Tavares
Participantes: professora Patricia Tavares, professora Cecília Couto, o fotógrafo Bruno Sophia e os alunos do 5º ano
 

"Fotografar é colocar na mesma linha de mira a cabeça, o olho e o coração", bem definiu o francês Henri Cartier-Bresson (1908-2004)

 

O projeto “Meu olhar na escola” foi realizado com os alunos do 5º ano da Escola Municipal Santos Dumont, localizada em Marechal Hermes. Nele os estudantes participaram de aulas teóricas, práticas e o celular foi um grande aliado.

 


Responsável pela atividade, a professora e também fotógrafa Patricia Tavares contou com a participação da Professora da Sala de Leitura, Cecília Couto, da professora de Educação Física, Aurita Silva, além da parceria do fotógrafo Bruno Sophia, para realização do projeto. 

O principal objetivo do projeto foi incentivar o conhecimento da linguagem fotográfica e os recursos disponíveis no celular para a produção de imagens.

 

 

Uma vez que a comunicação através de imagens está em evidência e muitos estudantes possuem aparelhos celulares, torna-se importante a promoção de ações produtivas que envolvam os alunos em situações que eles vivenciem rotineiramente.


Com esse objetivo, foram realizadas aulas de fotografia, durante todo o mês de novembro do ano de 2017 e, no dia 28 do mesmo mês, promoveu-se a culminância do projeto, através de uma exposição aberta à Comunidade Escolar com as fotos produzidas durante as aulas. 

A Unidade Escolar também realizou um Concurso Fotográfico, que elegeu o autor das “melhores” imagens, com premiação para os(as) vencedores(as).

 

 

"Vale frisar que as características dessa linguagem, como luz, ângulo, perspectiva, composição, planos, textura, foco e movimento, não devem ser abordadas somente de forma expositiva. Esse conteúdo todo deve ser aprofundado durante a apreciação e análise das imagens feitas por pessoas comuns e por profissionais. Pois é com a visualização e as intervenções do professor que o aluno o perceberá de forma contextualizada e terá condições de avaliar o impacto que os vários elementos causam quando são usados conscientemente e quando o autor não os conhece."

Fonte: https://novaescola.org.br/conteudo/1048/olhar-fotografico

 

Sobre a escola:

E/CRE(05.15.027) Escola Municipal Santos Dumont

Endereço: Pça. 15 De Novembro 29 Marechal Hermes

E-mail: emdumont@rioeduca.net

Tels: 3018-2134 | 3018-2656


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 04/05/2018

Alface estava crescendo na E.M. Alfredo de Paula Freitas

Tags: alface, cultivo, projeto, educação física, 5ªcre.

 

A Escola Municipal Alfredo de Paula Freitas desenvolveu um projeto que contou com a colaboração da professora de Educação Física e da professora de Educação Infantil. Nessa parceria, os alunos tiveram a oportunidade de aprender noções sobre alimentação saudável, trabalhando concomitantemente, atividades de Educação Física. Confira!

 

 

Nome do projeto: Alface estava crescendo
Data de realização: 09/03/2018
Local: Escola Municipal Alfredo de Paula Freitas
Período em que ocorreu: durante a aula de Educação Física
Idealizadora: professora Juliana Marques
Participantes: professora Juliana Marques, professora Viviane Meneguitte e os alunos da turma EI-51.

 

 

Durante uma aula de Educação Física com os alunos da turma EI-51, foi ensinada a música “Alface estava crescendo” que além de agradar nossos pequenos despertou grande interesse e curiosidade acerca da alface. Nesse contexto, inúmeras perguntas foram levantadas que versavam sobre suas características, o cultivo, dentre outras informações.

 

 

Com isso, a professora Juliana sentiu a necessidade de atender a demanda de seus alunos e planejou uma aula, com o apoio da professora Viviane, cujo tema dialogava com a curiosidade das crianças. Tendo como pressuposto os seguintes objetivos: Vivenciar atividades rítmicas e sua repercussão em seus corpos; Vivenciar as diferentes noções de localização do corpo no espaço; Realizar atividades que estimulem o desenvolvimento da motricidade fina e coordenação óculo-manual; Experimentar as diversas percepções sensoriais; Consumir com maior frequência os alimentos naturais.

 

 

 


No primeiro momento, após a música de acolhimento cantada todo início de aula de Educação Física, a professora Juliana apresentou-os a alface. Foi levado para a sala de aula uma alface verde e uma alface roxa  para que as crianças pudessem tocar, cheirar, explorando da melhor maneira possível, percebendo as suas nuances e peculiaridades. Houve um diálogo intenso entre alunos e professoras sobre as características da alface. Aproveitou-se, então, dessa situação para alerta-los quanto à importância dos hábitos de higiene durante as refeições.

 


 

 

Após a fase de exploração, cada aluno pôde, com o auxílio das professoras, plantar algumas sementes de alface e levar para as suas casas. Foi ressaltado a necessidade de cuidado e manutenção para que futuramente cada um pudesse colher seu pé de alface.

 

 

Sobre a escola:

E/CRE(05.14.011) Escola Municipal Alfredo de Paula Freitas

Endereço: Rua Gustavo de Andrade 290 Irajá

E-mail: empfreitas@rioeduca.net

Tel: 3372-5009 | 3372-5139


   
           



Yammer Share