A A A C
email
Retornando 298 resultados para a tag '3ªcre'

Quarta-feira, 26/04/2017

Aprendendo sobre a Água

Tags: 3ªcre, água, cidadania.

 

  Em importante trabalho de cidadania, o EDI Luiza Helena Maia Medeiros realiza atividades de conscientização do uso da água, aproveitando para lançar importantes conceitos sobre os temas para os alunos. Vamos conhecer um pouco desse trabalho...

 

 

E com a palavra, o Espaço de Desenvolvimento Infantil Professora Luiza Helena Maia Medeiros:

Falando sobre a água...

Conhecemos a importância da água para as plantas e frutas. Podemos constatar que as frutas também contém água e o quanto elas fazem bem para nossa saúde. Através dos 4 sentidos (paladar, olfato, tato e visão) observamos as formas das frutas, sentimos a espessura e o cheiro de cada uma delas, e por fim, degustamos, comparamos sabores (doce e aceda) e classificamos as frutas.

Após conversamos e conhecermos como funciona o ciclo da água, fomos conhecer como é que a água chega em nossas casas e em nossa escola. Observamos a quantidade de caixas D'água que temos em nossa escola e como funciona a formação das nuvens através do ciclo da água.

 

 

Fazer uma criança feliz é bom demais!!!

Amo ver esses olhinhos assim!!

Aprender brincando!!! Estados físicos da água... Partiu aprender!!!

Água é vida!!! E brincadeira também, desde que usada com economia... Vamos lavar louça. Fecha torneira, abre torneira!!!

 

 

É brincando q se aprende, também!!!

Vamos de banho na boneca!!!

Compartilhar, esperar a sua vez, economia de água, partes do corpo...Tudo isso, dentro dá brincadeira!!!! Estou na educação infantil...

Ouvimos a história: A limpeza de Teresa, conversamos sobre hábitos de higiene e demos banho na bebê da turma, a Maria Flor (nome escolhido pelos nossos pequenos).

Com essa atividade trabalhamos hábitos de higiene, partes do corpo humano e o consumo consciente da água. O banho da Maria Flor foi um sucesso!

 

 

No dia de experiências científica usando a água. Muitas coisas aconteceram... Até uma experiência não deu certo , mas a outra... ah essa  foi um sucesso. A experiência Ponte das cores... na verdade uma  diversão em forma de experiência e para ela o professor vai precisar de copo plástico, água, corantes de cores diferentes e papel toalha. É so colocar a pontinha do papel passando de um copo para o outro que temos em minutos uma verdadeira ponte de água... As crianças adoram! 

 

 

Que tal fazer a Ponte das cores com seus alunos também ! 

 

 

E depois de tanta brincadeira, vamos manusear os livros com esse tema... conhecer mais e melhor... 

 

 

Parabéns para o EDI Luiza Helena Maia Medeiros! É brincando q se aprende, também!!!

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 12/04/2017

Descobrindo o Brasil através da Artes

Tags: 3ªcre, artes, portinari.

   

É com muito orgulho que apresentamos um pouquinho do trabalho do EDI Félix Pacheco no projeto DESCOBRINDO O BRASIL ATRAVÉS DAS ARTES! - Conhecendo os artistas brasileiros.

 


 

 

Nosso primeiro artista a ser trabalhado foi Cândido Portinari.

Portinari apreciava a infância e suas manifestações, brincadeiras e linguagens. Aproveitando toda a predileção que esse artista brasileiro tinha pelos pequenos, vamos apresentá-las as suas obras e inventar maneiras de torná-las significativas de um jeito divertido!

Suas obras, entre outros, retratam a diversidade cultural e também a infância das crianças brasileiras.

 

 

AUTORRETRATO

Iniciamos conhecendo a biografia do artista PORTINARI e ao mesmo tempo conhecemos as crianças e os grupos através do autorretrato que as próprias crianças criaram, onde trabalhamos as diferenças entre elas, as partes do corpo e esquema facial. Esse foi o primeiro contato com a arte de Portinari e sua história. Descobrindo o mundo das cores de Candinho, pintamos feito Portinari.

 

 

O ESPANTALHO

A segunda obra foi O Espantalho - trabalhando os sentimentos, cada turma pode vencer seus medos. Também puderam resgatar a historia do Brasil através de suas plantações.

Com a imaginação de criança, as professoras construíram uma plantação de milho. Não poderia faltar o personagem principal de nossa brincadeira... O ESPANTALHO. Na brincadeira, as bolas eram os passarinhos, e os espantalhos tinham que proteger a plantação e tirar os passarinhos de lá. Após a colheita na plantação, foi a hora de ver na rodinha o milho.

O que podemos fazer com ele?

Muitas coisas gostosas... e, entre elas, escolhemos a pipoca.

Assim, as crianças despertaram para a letra inicial do espantalho, criando o gancho para o letramento e escrita. Tivemos a criação de vários espantalhos, e muitas outras brincadeiras.

 

  

 

MENINOS SOLTANDO PIPAS e O MENINO E O PIÃO

Terceira e quarta obra foram: Meninos soltando pipas e O menino e o pião. 

Os professores levaram pião e pipas para a rodinha. As crianças tiveram o privilégio de resgatar as brincadeiras. A brincadeira com o pião foi muito divertida, ainda mais quando elas aprenderam a música: roda pião. Com a música criaram a brincadeira Gira pião.

E, por fim, confeccionaram o seu próprio pião.

 

 

Confeccionaram as pipas aprendendo cada parte delas: rabiola, cabresto, linha, vela, e como levantar voo. Promovemos experiências significativas de aprendizagem da língua, por meio das Obras com a linguagem oral e escrita, ampliando assim a capacidade de comunicação e expressão e de acesso ao mundo letrado pelas crianças. Despertando elas para a escrita inicial e para as palavras pipa, pião e espantalho.

 

 

Fizemos a releitura corporal: imitando as crianças retratadas nas obras de Portinari. Resgatando a infância de Portinari, como antigamente as crianças não tinham tantos brinquedos como as de hoje, usamos a criatividade para criá-los. Palhacinhos na gangorra, Futebol em Brodósqui e Roda infantil.

 

 

O trabalho tem sido memorável. Inesquecível para os alunos e para todos os envolvidos. Mostrar a cultura do Brasil através dos seus pintores para as crianças pequenas é incentivar o conhecimento da  história e das artes plásticas e quem sabe a descoberta de novos talentos... Parabéns ao EDI Felix Pacheco pelo interessante trabalho!

 

 


 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 29/03/2017

Ação do Dia da Mulher: Intervenção Poética – Posso ler pra você?

Tags: 3ªcre, mulher, poesia.

   

   A idéia de criar o Dia da Mulher surgiu no início do século XX nos Estados Unidos e na Europa no contexto das lutas femininas por melhores condições de vida e trabalho e pelo direito ao voto. Na Escola Muncipal Fancisco Jobim essa data não poderia passar em branco e nada melhor do que homenagear com leituras e poesias...

 

 

A equipe de direção, coordenação e sala de leitura da Escola Municipal 03.13.021 Francisco Jobim decidiu comemorar o Dia Internacional da Mulher de uma forma diferente. Resolveram criar um projeto que envolvesse todos os alunos da escola demonstrando que a valorização da mulher parte do reconhecimento do seu trabalho em suas diferentes esferas de atuação.

Surgiu então o Projeto Ação do Dia da Mulher: Intervenção Poética – Posso ler pra você?

 

 

A ideia de criar esse projeto envolvendo história, música e literatura teve como ponto de partida o estudo sobre o surgimento, no início do século XX nos Estados Unidos e na Europa do Dia internacional da Mulher. A criação desse dia de valorização da mulher se deu num contexto conturbado das lutas femininas por melhores condições de vida e trabalho e principalmente pelo direito de voto.

Vale ressaltar que muitos anos se passaram e as lutas continuam. Direitos foram conquistados, mas ainda há muito o que se fazer, e discutir e conscientizar faz parte desse processo. Porém, foi discutido que, mesmo diante de tantas batalhas diárias, a mulher não deveria perder a sua feminilidade. 

 

 

Então os alunos e professores da E. M. Francisco Jobim, com a orientação das professoras Tatiana Coutinho da Sala de Leitura Christina Caiazzo e com a supervisão da Coordenadora Pedagógica Marcelle Borges, prepararam uma ação para homenagear as mulheres no seu dia. Selecionaram poemas e promoveram a leitura pelos corredores e demais espaços da escola presenteando todas as mulheres que passavam.

A leitura dos poemas e músicas (quase uma serenata) com a temática feminina, acompanhada da entrega de flores de origami, despertou muita emoção nas mulheres. Essa pequena gentileza ainda corrobora para a sensibilização dos meninos, além de proporcionar aos mesmos um maior conhecimento do universo feminino.

 

 

A parte da “serenata” contou com a generosa colaboração do professor de música André Aragão e com a participação da professora de inglês Francelise, que realizaram um pequeno sarau no horário de saída do primeiro turno e de entrada do segundo turno, cantando músicas com a temática feminina. O sucesso foi absoluto e a atmosfera de respeito, admiração e homenagem, embalada pela poesia e pela música, envolveu toda a escola. 

 

 

Vale o registro: O Dia Internacional da Mulher, comemorado no dia 08 de Março, nos leva à história de lutas pela valorização da mulher, do reconhecimento dos seus direitos e de seu importante papel na sociedade.

Esse dia está relacionado aos movimentos feministas que buscavam mais dignidade para as mulheres, tentando promover uma vida mais justa e igualitária. As meninas de hoje serão as mulheres de amanhã, portanto também precisam ser homenageadas e, principalmente, conhecer seus direitos (um dos mais importantes é o direito à educação).

 

 

Parabéns à Escola Municipal Francisco Jobim pelo projeto que, com certeza, promoveu de forma ludica e agradável a aprendizagem de todos os alunos sobre esse importante tema.

 

Comemore! No ano que vem, dia 8 de março, organize uma festa em sua escola para festejar o Dia Internacional das Mulheres também! 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 15/03/2017

Ô Abre Alas que o EDI D. Lindu pede licença e pede passagem!

Tags: 3ªcre, carnaval, bailes.

 

   Ah, o Carnaval... Época de muita diversão, alegria e valorização da cultura brasileira. Podemos dizer também, de muito aprendizado. No Espaço de Desenvolvimento Infantil D. Lindu não poderia ser diferente. Mais do que pular o carnaval, as crianças participaram ativamente dos preparativos vivenciando todos os momentos da folia.

 

 

Chegou o carnaval na turma do maternal II - 31. Os alunos conheceram as músicas e realizaram trabalhos de arte que faziam alusão ao tema. Estavam concentrados realizando seus trabalho para a festa. Pintura e colagem na chupeta! Pintura na mamadeira!

 

 

"Ô abre alas, que eu quero passar..." O Maternal II- 32 está no ritmo do Carnaval!! Os alunos, em grupos, realizaram atividades de confecção dos enfeites e painéis para o Baile de Carnaval. Utilizaram técnicas de pintura, desenho e colagem sempre concentrados, para deixar o trabalho muito bonito. As crianças brincavam e pulavam ao som das músicas de Carnaval . Também improvisavam fantasias para deixar a brincadeira mais divertida. No Carnaval não tem como ficar parado. É o aprendizado da folia e o aprendizado na folia.

 

 

E o que seria do Carnaval sem as fantasias que mexem com o imaginário de adultos e crianças?! Lá no EDI D. Lindu as crianças montaram seus próprios bonecos e, usando a criatividade, criaram as fantasias e até os penteados dos cabelos.

 

 


E por falar em cabelos, a  turma Maternal II - 32 trabalhou no ritmo de carnaval! A música "Olha a cabeleira do Zezé...". Segundo a diretora Sheila: "Brincamos, dançamos e aprendemos que cada um tem um cabelo diferente. Viva as diferenças!"

Para completar a diversão as crianças trabalharam montando uma peruca e decorando a cabeleira do boneco. E quem disse que não dá para aprender brincando ?

 

 

E então, no dia 23 de fevereiro, chegou o momento tão esperado por todos os alunos do Edi D. Lindu! Os enfeites produzidos já estavam nos lugares, as músicas vivenciadas já estavam tocando e os pequenos foliões já estavam a postos para muitas brincadeiras e também para posar para as fotos.



 

Parabéns para a diretora Sheila Carvalho e para toda a equipe do espaço de Desenvolvimento Infantil D. Lindu por terem transformado o Carnaval num momento de aprendizagem lúdica e significativa dos valores e da cultura de nosso país e da nossa cidade para o alunos. O que foi vivenciado nesse período, com toda a certeza, ficará na memória para sempre.

 

 

 

 


 


   
           



Yammer Share