A A A C
email
Retornando 299 resultados para a tag '2ªcre'

Terça-feira, 12/06/2018

O Combate ao Mosquito Depende de Nós

Tags: 2ªcre, dengue.

 

Os alunos da E.M. Barão de Itacurussá participaram de atividades informativas e práticas sobre as doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti.

 

A professora Renata Barbosa, regente de Ciências na E.M. Barão de Itacurussá, entrou em contato com o portal Rioeduca e nos contou sobre as atividades realizadas no projeto que tem como objetivo a conscientização do combate ao mosquito Aedes Aegypti.

A atividade foi realizada com todas as turmas do segundo segmento, a partir de uma explanação do que são arboviroses e, principalmente, sobre aquelas cujo vetor é o Aedes Aegypti. Além disso, foi feito um debate com as turmas a respeito de possíveis criadouros de mosquitos em seus domicílios e atuação dos mesmos nesta prevenção. 

 

Alunos apresentando a "mosquitérica".

 


A turma 1.701 realizou um experimento, no qual o foco principal é a captura de mosquitos e visualização das etapas do desenvolvimento deste inseto, dentro da unidade escolar. Esse processo foi realizado de forma controlada, sob a supervisão da professora regente e com o objetivo somente de observação. Para tal atividade, a turma confeccionou quatro “mosquitéricas”- armadilha de mosquitos- que foram armazenadas em três salas. 

 

Alunos atuando no projeto de combate ao mosquito Aedes Aegypti.

 


Os alunos da 1.701, também, foram às salas de todas as turmas da escola para informar aos colegas sobre o compromisso e responsabilidade frente ao combate ao Aedes Aegypti, distribuindo panfletos.  

 

Aluna entregando panfleto.

 

 

Entrega de folhetos aos alunos da escola.

 


A professora Renata Barbosa relata que os criadores da armadilha de insetos foram Hermano César M. Jambo e Antônio C. Gonçalves Pereira. Ambos a patentearam com o nome de mosquitoeira. Porém, para difundir a utilização da invenção, o grupo do professor Maulori Cabral, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), criou uma versão alternativa e gratuita chamada mosquitérica.


Agradecemos a professora Renata Barbosa e a equipe da E.M. Barão de Itacurussá por compartilhar conosco este projeto que demonstra ações práticas de cidadania e cuidados com a saúde.

 

O contato da unidade escolar é: emitacurussa@rioeduca.net

 

Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 29/05/2018

Caça ao Tesouro Pelo EDI Irmã Margarita Alarcón

Tags: 2ªcre, literatura, educaçãoinfantil.

 

Os alunos do EDI Margarita Alarcón participaram de uma caça ao tesouro na semana de acolhimento

 

A professora Ana Claudia Ribeiro, diretora da unidade escolar, entrou em contato com o portal Rioeduca contando sobre as atividades da semana de acolhimento.


O início do ano letivo é marcado pelos reencontros, surpresas, e expectativas. As crianças mostram-se empolgadas ao mesmo tempo em que precisam lidar com as mudanças e perdas. São novos colegas e professores na turma, novos desafios e organizações. Por isso o período de adaptação precisa ser cuidadosamente pensado e observado pelos educadores. É importante que as crianças se sintam seguras e, aos poucos, integradas ao grupo e à rotina escolar.

Contação de história.

 


A brincadeira pode e deve auxiliar nesse processo! As professoras das turmas de Pré I, Amanda Morganna e Wanderlea Lopes, seguiram a sugestão da SME preparando a atividade “Caça ao Tesouro” para iniciar a semana de acolhimento do EDI Irmã Margarita Alarcón.


A atividade começou com o auxílio de um livro que conta a história de um pirata que havia cruzado os mares e perdido um tesouro valioso. As crianças puderam ver as imagens do livro e imaginar as cenas conforme as professoras iam contando a história. Em seguida, o grupo foi convidado para desvendar o mistério do baú perdido. Cada criança ganhou um tapa-olho que foi enviado pelo pirata que precisava de ajuda para retomar o seu baú.


Além do tapa-olho, o pirata também mandou um mapa e pistas para que as crianças encontrassem o tesouro perdido. Com o mapa em mãos, a aventura começou.


Depois de desvendarem os enigmas, seguirem as pistas e observarem o mapa, as crianças descobriram onde estava o baú do pirata que, bondosamente, dividiu seu tesouro com os seus desbravadores.

 

Professora Wanderlea com as crianças abrindo o baú.

 

 

Tesouro sendo compartilhado com todos!

 


A partir dessa brincadeira as crianças puderam se integrar com os novos e antigos colegas, conhecer melhor os espaços da escola e suas finalidades, relacionar-se com os funcionários, além de desenvolver habilidades ao resolver problemas, seguir pistas e estimular a imaginação (re)criando histórias que fazem parte do imaginário infantil.


Agradecemos a unidade escolar por compartilhar conosco a atividade e desejamos um ano letivo de sucesso.

 

O contato da unidade escolar é: edialarcon@rioeduca.net

 

 

Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 

 

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 15/05/2018

Pequenos Cientistas: Célula na Gelatina

Tags: 2ªcre, ciencias.

 

Aulas lúdicas de Ciências na Escola Francisco Manuel despertam curiosidade e desejo de aprender nos educandos.

 

 

A professora Deborah Senra, regente de Ciências, na Escola Francisco Manuel contou ao portal Rioeduca sobre como as atividades lúdicas despertam o interesse do aluno.


A ideia foi: Como trazer para o nosso dia a dia coisas tão pequenas quanto as células? E pensando nisso  a professora Deborah Senra, propôs aos alunos uma atividade lúdica voltada para o entendimento das células e suas organelas citoplasmáticas.

 

 

Atividade lúdica realizada em grupos.

 

 

Para tentar entrar neste mundo microscópico a professora levou para sala de aula do sétimo ano: gelatinas de morango, granulados, caldas e confeitos comestíveis, tentando simular as organelas citoplasmáticas e a organização interna das células. O objetivo era que cada aluno criasse a sua própria célula e desenhasse dentro da gelatina os componentes que existem nas células; as organelas citoplasmáticas como ribossomos, material genético, mitocôndria, retículos, complexo de golgi, etc...

Os alunos se dividiram em grupos e, usando os ingredientes levados por eles mesmos, foram criando, através da imaginação, como seria uma célula e como estariam organizados dentro desta as organelas citoplasmáticas. A atividade foi feita em grupo, mas cada um fez a sua própria experiência.

 

 

Atividade realizada em grupo, mas cada aluno fez sua própria experiência.

 

 

Após a experiência de criação da célula, os alunos deveriam escrever em uma folha os ingredientes que eles usaram para fazer cada parte e a função da organela citoplasmática desenhada na gelatina.

 

 

Atividade escrita após a realização das experiências.

 

 

Depois da missão cumprida veio a melhor parte. Comer a arte em formato de célula e se saborear com caldas, granulados, bolas de chocolate e muito mais. Uma delícia de atividade!

A aluna Camila relatou que gostou demais da atividade, e disse que colocou o núcleo na região central da célula, feita por ela com a calda de chocolate.


O aluno João Victor, fez uma célula procarionte, desenhando apenas o material genético sem a carioteca (núcleo). Ele contou que fez o material genético com o Chocoball, os ribossomos com o granulado e a membrana plasmática externa com a calda de chocolate. Ele disse que gostou da experiência, porque ficou perto dos amigos e pode comer ao final da aula.

A aluna Sara disse que a experiência foi boa, porque conseguiu gravar melhor os nomes das partes da célula. Ela fez uma célula eucarionte aonde o granulado representou a membrana plasmática, o carioteca foi a calda de chocolate, e os granulados espalhados eram as organelas como ribossomos, retículo endoplasmático liso e rugoso, mitocôndria,etc.

Para o aluno Miguel a atividade foi interessante para aprender e relembrar as funções de cada organela. O aluno desenhou uma célula eucarionte animal com região central bem delimitada e os retículos endoplasmáticos lisos. Além do material genético dentro da carioteca que fez com uma bolinha do chocoball.

 

Agradecimentos a professora Deborah Senra por compartilhar conosco este trabalho que demonstra como as atividades lúdicas despertam o interesse e contribuem para o conhecimento do aluno.

 

O contato da unidade escolar é: emfmanuel@rioeduca.net

 

Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 

 


  


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 01/05/2018

Ciências: Um Estudo Sobre as Nossas Riquezas

Tags: 2ªcre.

 

Os alunos do sexto ano da Escola Joaquim Nabuco vivenciaram, através de atividades lúdicas, a formação do Planeta Terra e suas camadas.

 

As atividades lúdicas colaboram com a aprendizagem, porque despertam no aluno o interesse pelo assunto estudado, principalmente, porque existe a oportunidade  de aprender fazendo.


Nos primeiros conteúdos das aulas de Ciências do sexto ano está a formação do Planeta Terra. E antes da atividade lúdica, os alunos fizeram um estudo teórico junto com seus professores sobre o assunto.

 

Conhecendo a formação do Planeta Terra

 


Após este estudo, todos colocaram as mãos na massa para criar suas próprias representações do Planeta Terra e suas camadas. A atividade foi feita utilizando massinha de modelar confeccionada pelos próprios alunos.


A ideia de realizar a atividade surgiu a partir dos conteúdos propostos para o bimestre. Tendo em vista que por se tratar do sexto ano, há necessidade de visualização e manuseio de materiais para construção do pensamento abstrato e encorajamento na aquisição de novos conteúdos.

 

Trabalhando os conteúdos de Ciências de forma lúdica

 

 

O projeto da unidade escolar na disciplina de Ciências tem como proposta: Ciências - Um Estudo Voltado para Riquezas que são Nossas!!! O planeta, a água e o corpo estão ao nosso alcance e é dever de todos preservá-los. 

 

Os alunos adoraram confeccionar suas massinhas,pois por conter ingredientes básicos de sua cozinha, eles puderam reproduzir com outros fins em suas casas. A atividade foi um sucesso!

 

Alunos realizando atividades lúdicas nas aulas de Ciências

 

Parabéns a unidade escolar por realizar atividades lúdicas que despertem no aluno o desejo de aprender. Desejamos sucesso sempre!

 

O contato da unidade escolar é: emnabuco@rioeduca.net

 

 

Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE!

 

 

Renata Carvalho - Professora da Rede e representante do portal Rioeduca na 2ª CRE

renata.carvalho@rioeduca.net


 


   
           



Yammer Share