A A A C
email
Retornando 283 resultados para a tag '2ªcre'

Terça-feira, 15/08/2017

Projeto Identidade: Descobrindo quem Sou? Por que Sou? Com quem Sou?

Tags: 2ªcre, alfabetizacao, literatura.

Os alunos do terceiro ano da Escola Municipal Albert Schweitzer conheceram suas histórias através do projeto Identidade. Os educandos tiveram contato com a literatura e fizeram pesquisas.

 


A professora Viviane Lima, regente do terceiro ano da Escola Municipal Albert Schweitzer, enviou ao portal Rioeduca um relato contando sobre os objetivos e como o projeto Identidade foi realizado com os educandos.

O objetivo principal foi trabalhar a história dos alunos a partir do nome e da família, estabelecendo uma relação interdisciplinar com as estruturas curriculares e os descritores elencados para o 1º bimestre do ano de 2017 do 3º ano do Ensino Fundamental.

Na primeira atividade, cada aluno escreveu seu nome em uma folha de ofício. Logo após, a professora fez um bingo das letras do nome dos alunos. Esta atividade serviu para perceber a consciência fonológica e escrita do alfabeto, advinda do conhecimento de cada educando. Em seguida, a professora pediu para os alunos escreverem uma palavra iniciada por cada letra do nome, formando assim um acróstico. Depois, os alunos escolheram três das palavras escritas por eles para que produzissem frases.

Em um segundo instante, aconteceu a leitura do livro “A Família de Marcelo” de Ruth Rocha, pois o livro conta a história do menino e fala um pouco sobre sua família e amigos. A professora aproveitou para conversar sobre como era a família de cada um, onde eles expuseram os nomes de seus familiares e seus hábitos. Para casa, as crianças completaram a árvore genealógica, tendo como objetivo o estudo do substantivo, conforme foto abaixo.

 


 

Na mesma semana, a turma estudou a reta numérica marcando a idade de cada integrante da família, fazendo em seguida os exercícios, trabalhando o sistema de numeração, adição e subtração, par e impar e escrita por extenso.


 

Para trabalhar o relógio (definição de hora e minuto, ponteiros pequeno e grande, diferença de relógio digital e analógico), a professora contou a história “Julinha Relógio”, que fala de uma menina que adorava relógio e até mesmo suas brincadeiras eram direcionadas às horas. Terminada a história, cada criança construiu um relógio analógico, utilizando material reciclável. Para que eles conhecessem a diferença das horas antes e depois do meio dia, foi realizada uma prova prática, onde cada criança utilizava seu relógio para responder a distinção de hora e minuto, quando questionados: Qual a hora do início das aulas? Qual a hora do término da aula? Que horas você almoça? Que horas você acorda? Qual a hora do recreio? Qual a hora do lanche? Que horas você dorme? (As perguntas foram feitas individualmente)

 


 

Os alunos fizeram também, o autorretrato com o objetivo de trabalhar as características físicas de cada um e para que percebessem que temos diferenças. A professora aproveitou esta atividade para trabalhar o versos e estrofes e a diferenciação da estrutura de um texto simples e um poema (as atividades foram apoiadas na poesia “Diversidade” de Tatiana Belinky). Terminado o trabalho, as fotografias foram expostas no mural com o poema bem ao centro.

 


 

A partir do trabalho do autorretrato, a professora conversou com a turma sobre diversidade e respeito, onde debateu-se sobre o tema. As crianças relataram alguns casos vividos por elas ou por pessoas que conheciam.

Como culminância, os alunos levaram fotos de pessoas de diversas características físicas para exposição na sala.


 

Os educandos fizeram também a maquete do bairro onde moram ou de algum lugar que gostavam, percebendo e entendendo as transformações sociais, espaciais, culturais e históricas existentes no local escolhido. Em seguida, cada aluno identificou e contextualizou oralmente para os colegas o espaço social que tinha feito. Foi um momento muito prazeroso, pois as crianças sentiram a importância de mostrar sua casa ou seu lugar preferido, sentindo-se valorizados, pois quando terminavam de falar sobre a maquete eram aplaudidos.

 

 

Com o objetivo de trabalhar o tema da produção textual “Ai que Medo!”, indicado pela SME para o 1º bimestre de 2017, aconteceu um debate na sala, onde os alunos relatavam seus medos de forma lúdica. Muitos diziam que tinham medo de monstros, de barata, da polícia, do irmão mais velho e etc.

A professora Viviane aproveitou então, o projeto “Vai e Vem” oferecido pela escola, onde pôde distribuir os livros “Voa João”, “As Pintas do Júnior” e “Hugo, o Monstro”, uma coletânea oferecida pela Multirio para a biblioteca da escola.

Os alunos puderam levar os livros para casa e recontar a história na sala de aula para os colegas, utilizando fantoches e o cenário que compõem a coleção.

Conforme as fotos abaixo, os alunos escolhiam os personagens e contavam as histórias encenando com os fantoches. Foi uma proposta didática muito bem aceita pelos educandos, onde foi notório que estes ficavam com os olhos fitados na apresentação dos colegas e ansiosos para que chegasse a vez.

A professora Viviane diz ter certeza que as crianças além de conhecerem novas histórias, poderão desenvolver suas produções textuais de forma estrutural, coerente, coesa e fazendo de modo bem articulado o uso da nossa língua materna.

 


 

Podemos dizer que identidade é o conjunto de padrões diferenciados de comportamentos, pensamentos, atitudes e emoções. É a característica que nos torna únicos e diferentes de todos os outros.

Com este trabalho, as crianças conseguiram traçar seu histórico e descobrir muitos significados que ainda não conheciam. Foi possível trabalhar a identidade de cada criança associando o tema ao programa lançado pela SME para o 1º bimestre de 2017.

Pude observar que quando a criança via a si ou aos seus, nas atividades, estas se mostravam mais interessadas e dispostas para desenvolvê-las. Consegui com êxito alcançar os objetivos propostos para este trabalho fazendo a junção de “saber sobre si” (conhecimento de cada aluno) e “saber direcionado” (conteúdo disciplinar proposto).

Enfim, cada criança no seu vasto mundo de saber, quando direcionada e apresentada ao saber de forma diferenciada, torna-se ser pensante na busca da aprendizagem.” Professora Viviane Lima, regente da turma 1.302.

 

Agradecemos a professora Viviane Lima por compartilhar conosco estas ricas experiências pedagógicas e desejamos sucesso.

 

O contato da professora Viviane Lima é: vivianelima@rioeduca.net

 

 

Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 

 

Renata Carvalho - Professora da Rede e representante do portal Rioeduca na 2ª CRE

renata.carvalho@rioeduca.net


 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 01/08/2017

Aqui É um Lugar de Paz – 2ªCRE

Tags: 2ªcre, paz.

 

As unidades escolares da 2ªCRE continuam desenvolvendo ações sobre o projeto “Aqui É um Lugar de Paz”.

 

Durante o primeiro semestre do ano de 2017 nossas escolas trabalharam ativamente nessa campanha. O objetivo é formar cidadãos conscientes sobre nossas atitudes em busca da paz no ambiente escolar e na cidade onde vivemos.

Muitas de nossas unidades escolares entraram em contato com o portal Rioeduca e relataram com estão acontecendo as ações do projeto “Aqui É um Lugar de Paz”.

A Escola Municipal Afrânio Peixoto está participando ativamente do projeto instituído pelo nosso secretário de Educação, César Benjamin, por considerar a escola um lugar referenciado a formar cidadãos focados e atentos com a vida em sociedade.

Não podemos desistir de continuar oferecendo a nossas crianças a possibilidade de viver seu cotidiano acreditando ser possível um futuro melhor e de paz.

Sendo assim, a diretora Irina Luíza, junto com a sua adjunta, Ana Claudia, mais a equipe de professores e funcionários, sempre pensaram a vida cidadã em seu Projeto Pedagógico e, através dele, têm vivenciado alguns momentos únicos como a Páscoa, o Aniversário da Escola, o Dia das Mães e o #aquiéumlugardepaz para promover a reflexão e gerar movimentos na comunidade escolar que modifiquem para melhor a vida e a aprendizagem dos alunos inseridos nesta escola.

Em seu relato, a unidade escolar ainda salienta o trabalho realizado através de uma fala do educador Paulo Freire: “se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda.”

 


Apresentação do projeto "Aqui É um Lugas de Paz".

 

No Ciep Doutor Antoine Magarinos Torres Filho os alunos das turmas da Educação Infantil, juntos, escreveram a palavra Paz e, em seguida, levantaram as mãos e pediram Paz para a nossa cidade. Depois, participaram da confecção de um mural da Paz utilizando as mãos.

 


Palavra Paz escrita com o corpo.

 

 

Mural produzido pelos alunos.

 

A Escola Municipal Matta Machado reuniu a comunidade escolar para apresentar e falar sobre as ações que estão sendo realizadas no projeto “Aqui É um Lugar de Paz”.

Neste dia a escola recebeu os responsáveis para assistirem as apresentações de danças e encenações teatrais feitas pelos alunos e conhecerem os trabalhos que estavam expostos na quadra da escola como: poesias, pesquisas e maquetes. Foi um momento muito agradável que reuniu escola e família.

Em homenagem ao dia os professores vestiram camisas brancas, cor que simboliza a paz.

 

Equipe de professores da Escola Matta Machado.

 

Com o intuito de participar das ações propostas para lembrarmos da aluna Maria Eduarda, mais uma vítima da violência que aflige toda a população de nossa cidade, as turmas do Espaço de Desenvolvimento Infantil Professora Lúcia Maria Quitete de Carvalho Amaral produziram pequenas mensagens de paz .

 

Mensagens de paz feitas pelos alunos da Educação Infantil.

 

Para conhecer mais ações sobre o projeto “Aqui É um Lugar de Paz” realizadas nas escolas da 2ªCRE basta clicar aqui.

Agradecemos as unidades escolares que compartilharam suas ideias e trabalhos conosco. Desejamos sucesso e paz nesta caminhada.

 

Os contatos das unidades escolares são:

Escola Municipal Afrânio Peixoto emafraniop@rioeduca.net

Ciep Doutor Antoine Magarinos Torres Filho  ciepafilho@rioeduca.net

Escola Matta Machado ccmatta@rioeduca.net

EDI Professora Lúcia Maria Quitete de Carvalho Amaral  ediluciaquitete@rioeduca.net

 

 

Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 

 

Renata Carvalho - Professora da Rede e representante do portal Rioeduca na 2ª CRE

renata.carvalho@rioeduca.net

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 18/07/2017

Semana Literária na Escola Francisco Cabrita

Tags: 2ªcre, literatura.

 

Os alunos da Escola Francisco Cabrita participaram de uma Semana Literária bastante dinâmica, envolvendo a comunidade escolar, e que também foi premiada na Feira Nacional do Livro Infanto Juvenil.

 

O ano de 2016 conjugou o quarto centenário de morte de William Shakespeare e de Miguel de Cervantes e o centenário do Samba. Com temas tão relevantes, a Escola Municipal Francisco Cabrita organizou uma Semana Literária com o objetivo de contemplar grandes clássicos da literatura e a importância do Samba como patrimônio cultural da humanidade.

O projeto foi realizado no ano de 2016, mas premiado no ano de 2017 na Feira Nacional do Livro Infanto Juvenil.

 

 

Cartaz de abertura da Semana Literária de 2016 – trabalho premiado no Concurso Leia Comigo 2017 da FNLIJ.

 

 

A proposta dessa Semana surgiu de uma conversa informal com alguns professores que desejavam implementar uma prática pedagógica que pudesse democratizar a Arte na escola e estimular a leitura literária dos alunos. Em conjunto com a Direção, Coordenação, Corpo Docente, e funcionários da escola, foi definido que a Semana Literária seria o projeto da Escola Francisco Cabrita, de todos aqueles que compõem a comunidade escolar.

Sob a coordenação da professora regente da Sala de Leitura, Jenny Iglesias Polydoro Fernandez, iniciou-se a divulgação do evento para todas as turmas do colégio. Os alunos receberam explicações e informações sobre o projeto e o mais importante: foram convidados a participar com ideias e propostas. A intenção era estimular a autonomia dos estudantes a partir do momento que eles se apropriassem do evento.

Intitulada Donga convida: Shakespeare, Cervantes e quem mais chegar...”, a Semana Literária tinha como fios condutores os clássicos da Literatura e a história do Samba. Então, o Projeto foi desenvolvido através das leituras compartilhadas em salas de aula, com a parceria entre a professora da Sala de Leitura e os professores das demais áreas do conhecimento.

Assim, entre setembro e novembro de 2016, todas as 14 turmas da Francisco Cabrita fizeram a leitura, de pelo menos, um clássico da Literatura em sala de aula. De forma criteriosa, foram escolhidas boas adaptações de Romeu e Julieta, A Megera Domada e Otelo, de Shakespeare; Dom Quixote de La Mancha, de Cervantes; A Volta ao Mundo em 80 dias, de Júlio Verne; Helena, de Machado de Assis. Somadas a estas leituras, ensaios de músicas de Cartola, Ismael Silva e Pixinguinha ecoavam pelos corredores da escola.

Este movimento se repetiu nas aulas de Inglês, de História, de Geografia, de Ciências e de Língua Portuguesa. E gerou uma boa expectativa entre alunos e professores que já esperavam “a hora da leitura”. É importante ressaltar que muitos professores foram contagiados e resolveram ler com as turmas outras obras, e assim, houve turmas que leram até mais de um título ao mesmo tempo.

Estes encontros eram semanais e a leitura era feita por capítulos sempre com a participação voluntária dos alunos, que aos poucos foram vencendo a timidez de ler em voz alta para toda a turma e as suas próprias limitações. Então, neste período, entre alunos e professores, ultrapassou-se o número de 500 leitores lendo histórias, conhecendo personagens e se apropriando dos textos literários. Fato que é motivo de orgulho para a comunidade escolar e também ajuda a explicar o protagonismo dos estudantes nos belos trabalhos nos murais e nas paredes, nos ensaios teatrais, nas conversas sobre os textos, nas leituras dramatizadas, nos sambas cantarolados e, também, no nervosismo dos alunos que dramatizaram, com orgulho, trechos de algumas obras lidas.

A programação da Semana Literária foi extensa e contou com a visita de escritores renomados como: Júlio Emílio Braz e Luciana Sandroni. Foram bate-papos descontraídos em que alunos e professores puderam perguntar, expor suas opiniões e conhecer mais sobre o ofício da leitura e da escrita.

 

A escritora Luciana Sandroni ao centro junto com os alunos tirou fotos depois de um bate-papo animado.

 

A participação dos professores e funcionários em declamações de poesias, leituras de textos e músicas e apresentação de jograis foi um exemplo bonito para os alunos que puderam assistir a estes profissionais que tinham como único objetivo emocionar o público. Emoção também todos sentiram, na abertura da Semana, quando uma turma cantou músicas do mestre Cartola, ou ainda, ao ouvir o coro afinado de um outro grupo cantar “Não deixe o samba morrer”, eternizado na voz da intérprete Alcione.

 

Homenagem ao centenário do samba em mosaico.

 

O evento incluiu ainda palestras que abordaram desde a importância do estímulo à leitura na mais tenra idade até o jovem leitor que se apaixona pela obra de Clarice Lispector e de Machado de Assis. A Literatura de Cordel foi apresentada para uma plateia atenta, que, também, lotou o auditório para assistir o espetáculo teatral “Acorda Amor”, com a atriz Florência Santangelo.

A escola também recebeu com entusiasmo os jovens ritmistas da Bateria da Império da Tijuca, e o grupo de dança Origens que presenteou o evento com performances afrodescendentes. Nestas apresentações, alunos também ritmistas e dançarinos, sentiram-se à vontade para participar e entraram na roda para celebrar a pluralidade cultural do povo brasileiro.

Durante alguns meses, a unidade escolar se envolveu e abraçou a ideia de realizar uma Semana Literária. Evento lindo que contribuiu de forma dinâmica para aquisição de conhecimentos dos estudantes.

 

Pátio da escola onde livros foram expostos entre tambores e tamborins que tocaram sambas que embalaram professores, funcionários e alunos.

 

 

O portal Rioeduca agradece a professora Jenny Iglesias Polydoro Fernandez por compartilhar conosco esta experiência que contribuiu para que a comunidade escolar conhecesse mais sobre literatura e cultura.

 

 O contato da professora Jenny Iglesias é: jennyfernandez@rioeduca.net

 

 

Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 

 

Renata Carvalho - Professora da Rede e representante do portal Rioeduca na 2ª CRE

renata.carvalho@rioeduca.net


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 04/07/2017

Literatura e Arte Lado a Lado

Tags: 2ªcre, literatura.

 

Os alunos do 5º ano do CIEP Nação Rubro Negra participaram de uma Feira Literária. Os educandos pesquisaram, estudaram e apresentaram grandes obras da literatura e do cinema.

 

Nesta publicação destacamos a participação da Professora Flávia Brasil com a sua turma 1501 do 5º ano na Feira Literária do CIEP Nação Rubra Negra. Sempre pensando em inovar, a professora propôs aos seus alunos uma feira literária que associasse a arte literária e a arte cinematográfica com o tema “Obras Literárias que Viraram Filmes”, rememorando aos alunos que a literatura também pode ser materializada em filmes.

Os alunos se empolgaram e iniciaram semanas de estudos, pesquisas, montagem e trabalhos visando um apanhado contextualizado de obras que abordassem passado, presente e futuro. Então preparados, com textos estudados, maquetes prontas, alunos com vestimentas caracterizadas para as obras expostas e a sala de aula montada foi iniciada a exposição. Logo na entrada, os visitantes receberam um ticket de visitação e depois na porta da sala, encapada com um grande rolo de filme de cinema, era aberta e o visitante recebido com uma apresentação original da turma.

 


Entrada com os tickets e porta decorada.

 

A professora Flávia Brasil, vestida de egípcia, orientava a equipe onde inicialmente era exibido um vídeo de apresentação do filme “Os Dez Mandamentos” e, em seguida, os alunos muito bem caracterizados de Moisés e egípcias expunham a respeito dessa obra. E também abordavam os gêneros como a Epopeia na narrativa de heróis como Abraão e Davi; o Épico nas façanhas militares como a conquista de Canaã; a Tragédia na decadência de Sansão e Saul; o Romance nos livros de Rute e Cânticos e a Poesia em Salmos. Outro, como o gênero jurídico, ressaltado no Pentateuco (cinco primeiros livros) onde estão as leis, como as tábuas dos dez mandamentos da Bíblia, Livro do qual foram extraídas as bases literárias para a criação da novela e do filme de mesmo nome, ressaltados pelo grupo e pelo personagem Moisés, que encantou os visitantes pela caracterização.

 


Professora Flávia Brasil e alunos caracterizados.

 

Na primeira foto: alunos com as tábuas dos Dez Mandamentos

Na segunda foto: Professora Flávia Brasil, alunos e o cartaz do filme.

 

Os visitantes que prestigiaram o evento com a presença foram representantes da 2ª CRE, a direção da escola, responsáveis de alunos, parentes, muitas turmas, professoras, bem como convidados dos alunos que após entrarem na sala iam seguindo a rota traçada para exposição.

Em cada estande os visitantes puderam apreciar as maquetes, os apresentadores fantasiados, as obras literárias, assistir encenações teatrais e receber informações. Como o desenho do Batman no gênero história em quadrinhos, seu filme e personagens. E o especial: A Menina que Roubava Livros, com a explanação dada pelos alunos bem caracterizados.

 


Nas imagens vemos Batman e a Menina que Roubava Livros.

 

De igual modo assistiam apresentação em: A Culpa É das Estrelas, com o trio de personagens principais. Também o clássico: Cinderela, um conto de fadas, com a atuação e representação do príncipe, da Cinderela, sua madrasta e irmãs malvadas. Além de poderem observar a maquete que continha até uma carruagem.


A Culpa É das Estrelas e Cinderela.

 

Nos corredores da visitação, os visitantes encontravam também o best-seller: Harry Potter, sua grande maquete e os alunos fantasiados a rigor dos personagens. Ao lado se exibiam os Três Mosqueteiros que pronunciavam a frase “Um por todos e todos por um”.

 


Harry Potter e Os Três Mosqueteiros.

 

No decorrer da exposição era perceptível ao visitante que os expositores se empenharam na realização do evento, vieram caracterizados, trabalharam na montagem das maquetes, na configuração de roupas e apresentavam aquisição de conhecimentos. Realizaram um trabalho que era visto e elogiado pelos visitantes que podiam seguir para outros estandes da sala com as apresentações de: Drácula, um romance de ficção gótica com sua maquete, e ainda observar as maquetes de livros diversificados que estavam expostas.

 


Drácula, Titanic e outras obras da literatura  e do cinema.

 

Na finalização era apresentado Hamlet, com a encenação teatral da máxima “ser ou não ser, eis a questão”. Famosa frase da peça “A Tragédia de Hamlet”, de William Shakespeare. Muito usada como fundo filosófico e sem dúvida, uma das mais famosas frases da literatura mundial. No original em inglês é “to be or not to be, that is the question”. Também citada assim pelo aluno ao fim da exposição. Depois disso a turma se despedia dos visitantes.


Alunos fazendo apresentação sobre Hamlet

 

O evento culminou na revelação da aquisição de conhecimentos pelos alunos e da participação efetiva com trabalho em equipe, união e companheirismo. A “Feira Literária” foi muito bem apresentada por todas as turmas participantes, mostrando que a literatura traz em si um conjunto de saberes e habilidades de escrita e leitura e, literalmente, quando associada à arte do cinema expande o campo da imaginação para o campo da realidade, inspirando a arte e a vida.

Agradecemos a professora Flavia Brasil por compartilhar conosco esta rica experiência pedagógica e desejamos sucesso.

O contato da professora Flávia Brasil é: supersucessomil@gmail.com

 

Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 

 

Renata Carvalho - Professora da Rede e representante do portal Rioeduca na 2ª CRE

renata.carvalho@rioeduca.net


   
           



Yammer Share