A A A C
email
Retornando 378 resultados para a tag '10ªcre'

Sexta-feira, 17/11/2017

Respeito é Bom e Todo Mundo Gosta

Tags: 10ªcre, fábulas.

 

Escola Municipal Clara Lúcia desenvolve atividades de respeito a si mesmo e trabalho com o gênero textual de fábulas.

 

A E/CRE (10.19.082) Escola Municipal Professora Clara Lúcia de Sousa está localizada à Estrada de Sepetiba, 3.175, bloco 2, comunidade de Nova Sepetiba. Foi inaugurada há pouco mais de um ano, no dia 06 de maio de 2016, integrando um complexo de escolas que compreende ao todo três unidades destinadas ao primeiro segmento do Ensino Fundamental, duas unidades destinadas ao segundo segmento do Ensino Fundamental e três unidades destinadas à Educação Infantil.

 

Equipe gestora da Unidade Escolar

 

A Unidade Escolar atende esse ano a 19 turmas do 1º ano ao 6º ano Experimental do Ensino Fundamental, sendo 6 turmas em horário parcial e 13 turmas em horário integral, totalizando 582 alunos. Tem como diretora, a professora Monique Onório da Silva, como diretora adjunta, a professora Vanessa da Silva e como coordenadora pedagógica, a professora Carla de Oliveira Macedo Miranda da Silva.

— Este ano temos como título de nosso Projeto Político Pedagógico: Respeito é bom e todo mundo gosta, pois compreendemos que um dos objetivos da escola, enquanto instituição educativa é o desenvolvimento de valores essenciais para a vida em sociedade. Escolhemos o “respeito” como tema gerador, pois o compreendemos como valor que integra tantos outros, tais como: a tolerância, a solidariedade, a cooperação e a bondade. — explica a coordenadora pedagógica Carla Macedo.

 

Apresentação dos alunos 

 

Ao longo do ano letivo foram desenvolvidas atividades de respeito a si mesmo, com cuidados ao corpo, com a saúde; respeito à família, respeito à escola, respeito ao próximo, além de trabalhos relacionados à inclusão social e o respeito às diferenças individuais. Foi associado a esse projeto o trabalho com o gênero textual das fábulas, que além de ser bastante lúdico, pois utiliza animais como personagens principais, promove uma reflexão sobre a moral da história, despertando e incentivando o comportamento baseado em valores tão importantes para uma boa convivência.

Como um dos pontos altos do projeto foi realizada, no dia 25 de outubro, uma exposição de trabalhos e apresentações musicais e teatrais, com encenações das fábulas “O leão e o ratinho”, “A lebre e a tartaruga”, “A cigarra e a formiga”, “A formiga e a pomba” e, também, paródias relacionadas ao tema e a inclusão. Desta forma, todos os alunos foram envolvidos no projeto, assim como os pais e responsáveis, parceiros constantes das atividades.

 

Comunidade escolar presente no dia da apresentação e exposição dos trabalhos

 

— Pretendemos que o nosso projeto promova uma reflexão sobre nossas atitudes diárias e que possamos perpetuar estes valores, transformando a realidade atual onde a intolerância, o individualismo, o egoísmo e a indiferença têm prevalecido. Que a escola seja um lugar de paz! Que esta paz seja espalhada por todos os lugares do mundo e que os nossos alunos sejam os verdadeiros multiplicadores da paz e do respeito. Então teremos a consciência do dever cumprido, pois estaremos plantando sementes das quais nascerão bons frutos. — afirma a Diretora Monique Onório.

 

Apresentação dos alunos

Quer saber mais sobre o projeto?
Entre em contato com a Unidade Escolar.

E/CRE (10.19.082) Escola Municipal Professora Clara Lúcia de Sousa
Email: empclara@rioeduca.net

 


 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 03/11/2017

Qual é a Moral da História?

Tags: 10ªcre.

 

Alunos do 4º ano apresentam a peça teatral “Os Saltimbancos” em outras unidades escolares com o seguinte ensinamento: Todos Juntos Somos Fortes!

 

A E/CRE (10.19.081) Escola Municipal Walquir Pereira está localizada na Estrada de Sepetiba, 3175 – Bloco 1, conjunto Nova Sepetiba, Zona Oeste do município do Rio de Janeiro. A Unidade atende a 20 turmas, sendo 10 turmas em horário integral e 10 turmas em horário parcial, com um total de 637 alunos, do 1º ao 6º ano do ensino fundamental. A unidade escolar tem como diretora, a professora Carolina Thiele Azeredo, como diretor adjunto, o professor Julio Cesar Salino de Sousa, e como coordenadora pedagógica, a professora Tatiana Oliveira.

 

Diretora Carolina Thiele e alunos da unidade escolar

 

A escola foi inaugurada no dia 6 de maio de 2016 para atender a grande demanda da região do conjunto da Nova Sepetiba e Sepetiba. Na mesma comunidade, foram construídas mais 2 escolas com atendimento ao primário, 2 escolas com atendimento ao ginásio e 3 EDI.

O ano letivo de 2017 começou com o projeto “Qual é a moral da história?” com a finalidade de refletirmos atitudes e princípios morais nos alunos. As turmas de 1º ao 6º ano a cada bimestre realizam um trabalho a respeito da fábula trabalhada. Os alunos não só despertam o hábito pela leitura, interpretação, produção textual, como, também, assimilam regras de pontuação, ortografia e expressam suas concepções oralmente a cada moral da fábula apresentada.

A equipe da escola acredita que pode fazer a diferença na vida dos alunos, sendo assim, busca sempre implementar práticas que levem os mesmos a refletir sobre uma sociedade melhor e valores que enriqueçam e contribuam no processo de aprendizagem. Para eles, os alunos necessitam de oportunidades de participarem de atividades interessantes e planejadas com carinho, contribuindo para o seu desempenho escolar. Com isso, todos os professores trabalham fábulas com alunos, de forma a refletirem sobre a moral da história.

A turma 1402, da professora Priscila Ramos Firmino Lopes, fez um excelente trabalhou sobre a fábula “Os Saltimbancos” e apresentou uma peça teatral para todos os alunos da escola e das demais unidades escolares (escola e EDI) do entorno. A fábula fala de quatro animais que não aguentavam mais os maus tratos de seus donos e fogem em busca de um sonho.

 

Apresentação dos alunos da turma 1402

 

— Na peça, os quatro animais tentam caminhar cada um em uma direção, mas no decorrer da história eles percebem que ambos apresentam muitas dificuldades em andar sozinhos em busca do mesmo sonho; serem artistas. Logo, descobrem que a caminhada para a grande realização se tornará mais fácil se todos se unirem. Assim como a fábula dos Saltimbancos, a equipe da Escola Municipal Walquir Pereira, chamada também de equipe fabulosa, acredita que para a realização do mesmo sonho, precisamos caminhar juntos para a educação de qualidade, pois Todos Juntos Somos Fortes! — afirma a diretora Carolina.

 

Alunos do EDI Katia Miranda dos Santos assistindo a apresentação da peça.

 

— Recebemos a visita dos alunos e professores do EDI Professora Kátia Miranda dos Santos. Foi uma oportunidade de integrar alunos e professores de ambas unidades. O evento ocorreu na sala de encontros e os alunos puderam conhecer as dependências da escola. Foi uma tarde bem agradável, um clima harmônico onde partilhamos diversos conhecimentos. — afirma o diretor adjunto Julio Cesar.

O projeto “Qual é a moral da história?” é trabalhado por todos os professores da escola, onde os valores e princípios trabalhados nas fábulas são expostos em diversas atividades a cada bimestre.

 

Professora Priscila Ramos o elenco (alunos da turma 1402) e a Coordenadora Pedagógica Tatiana

 

Quer saber mais sobre o projeto?
Entre em contato com a Unidade Escolar.

E/CRE (10.19.081) Escola Municipal Walquir Pereira
Email: emwpereira@rioeduca.net

 

 


 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 20/10/2017

Aprendizagem Significativa

Tags: 10ªcre.

 

Professora desenvolve trabalho envolvendo conceito de número racional com turma de 4° ano.

 

A E/CRE (10.19.078) Escola Municipal Paralimpíadas Rio 2016 está localizada à Estrada de Sepetiba, 3475, Nova Sepetiba, zona oeste do Rio de Janeiro. A escola atende a 22 turmas do 1° ao 6° ano do Ensino Fundamental, sendo 8 turmas parciais e 14 turmas integrais, com 736 alunos. Tem como diretor, o professor Vitor Hugo Almeida, como diretor adjunto, o professor Glauner Bandeira de Oliveira, e como Coordenadora Pedagógica, a professora Maria do Socorro de Oliveira Lopes.

 

Parte da equipe da Unidade Escolar

 

A Unidade Escolar foi inaugurada em 6 de maio de 2016 e vem desenvolvendo um excelente trabalho com uma equipe comprometida, dedicada e sempre com diversos projetos voltados para o aprendizagem e crescimento dos alunos.

A turma 1401, da professora Andrea Reis, desenvolveu um projeto muito interessante de Matemática, envolvendo o conceito de número racional, que está entre os mais importantes e abstrusos deparados pelo aluno durante o ensino fundamental. E para o planejamento do projeto a professora levou em considerações dois autores com estudos significativos sobre o conteúdo abordado: Behr Et Al e Sarmento.

 

Professora Andrea e alunos da turma 1401

 

Behr Et Al (1983), afirma que a acuidade dos números racionais pode ser ponderada a partir de três perspectivas: prática, em que a aptidão de lidar de forma diligente com este conceito enrique muito a capacidade de abranger e conviver com situações e problemas do mundo real; psicológica, em que os números racionais harmonizam o incremento e extensão das estruturas mentais necessárias para o crescimento intelectual continuado; e matemática, onde a compreensão do número racional fornece a base para operações algébricas elementares posteriores.

Sarmento (2010), afirma que uma atividade de sala de aula onde os estudantes possam utilizar materiais manipuláveis, terá grande chance de ter sucesso, já que existirá uma grande possibilidade de os estudantes desenvolverem ações que construam um saber consistente e significativo. Assim, buscando o envolvimento dos alunos da turma 1401, bem como dar significado/sentido ao componente curricular, a professora Andréa Sales Borges dos Reis propôs a divisão de uma barra de chocolates para trabalhar o conceito de Fração.

– A escolha do material manipulável a ser empregado no ensino de matemática deve priorizar, sempre, aqueles em que o aluno possa situar-se em relações cogentes à construção dos conceitos matemáticos, de forma criativa, envolvendo, até, os diferentes órgãos dos sentidos, como forma de tornar a aprendizagem significativa e prazerosa – afirma o diretor Vitor Hugo

 

Alunos da turma 1401 realizando o trabalho sobre número racional

 

Partindo da operação divisão, os alunos foram questionados sobre objetos que poderiam ou não ser divididos em partes iguais. Nesse sentido, fizeram parte do repertório, perguntas do tipo: uma caneta poderia ser dividida igualmente ente duas pessoas? Ela continuaria a ter a mesma utilidade? E uma cadeira? Será que uma pessoa consegue sentar em meia cadeira? Uma barra de chocolate pode ser dividida para uma ou mais pessoas? Os alunos, imediatamente, identificaram o proposto e nesse clima, foi sugerido que os alunos identificassem, dentre três opções de frações, qual corresponderia a uma parte da barra. Assim, os mesmos puderam constatar, de forma concreta, desde 1/2 até 1/24 da barra de chocolate.

Após identificação da fração representada, cada aluno recebeu 1/24 da barra utilizada na atividade, para deleite e alegria da garotada. Todo material produzido durante a atividade foi exposto num varal a fim de que os alunos possam consultar, estabelecer conexões e dar sentido à aprendizagem.

Segundo a professora Andréa Reis, a atividade foi uma experiência enriquecedora. Ao longo do ano, buscamos dar ênfase sobre as operações matemáticas, sobretudo à divisão, trabalhando seu conceito e sistematização. Compreender que algo inteiro pode ser fracionado e também representado, através do material concreto, foi de fato muito proveitoso. Ademais, observar a carinha de felicidade deles, me motiva a sempre buscar algo novo e interessante para ser trabalhado em sala de aula. Nesse sentido, compartilhamos do pensamento de Paulo Freire, quando nos ensina que essa relação [...] é dialógica, aberta, curiosa, indagadora e não apassivada, enquanto fala ou enquanto ouve. O que importa é que professor e alunos se assumam epistemologicamente curiosos (FREIRE, 1996, p. 96).

 

Varal com exposição dos trabalhos

 

Quer saber mais sobre nossas aulas de Artes?
Entre em contato com a Unidade Escolar.

E/CRE (10.19.078) E. M. Paralimpíadas Rio 2016
Email: emparalimpiadas2016@rioeduca.net

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 06/10/2017

Viajando no Mundo Espacial

Tags: 10ªcre.

 

Professores e alunos do 6º ano experimental realizam Feira de Ciências na Escola Municipal Robson Donato

 

A E/CRE (10.19.084) Escola Municipal Medalhista Olímpico Robson Donato da Conceição está localizada à Avenida Cesário de Mello, 13510 – Bloco 4, Santa Cruz, zona oeste do Rio de Janeiro. A Unidade atende a 23 turmas, sendo 20 turmas em horário integral e 3 turmas em horário parcial, num total de 652 alunos, do 1° ao 6° ano do Ensino Fundamental. A Unidade Escolar tem como diretora, a professora Glaucia Valéria Menezes da Silva, como diretor adjunto, o professor Renato Gomes de Oliveira, e como Coordenador Pedagógico, o professor Roberto Dana.

 


Parte da equipe da Unidade Escolar

 

A escola foi inaugurada no dia 8 de setembro de 2016 para atender a grande demanda da região na comunidade do Cesarão, onde também foram construídos 2 EDIs e 1 escola com atendimento de ginásio.

No decorrer do ano letivo, as professoras Juliana Mello, Luana Pereira e Vanessa Garrido, ambas das turmas de 6º ano experimental, desenvolveram uma Feira de Ciências com a finalidade de elaborar experiências diversificadas de interesse dos alunos, com liberdade de escolher a área do conhecimento. O projeto teve como objetivo abordar os seguintes temas: sistema solar; a composição do ar; vulcanismos; eletricidade; misturas heterogêneas e ciclo da água.

 

Professores e alunos do 6° ano experimental

 

A Feira de Ciências foi executada em três momentos diferentes. No primeiro momento, aconteceram as animações na sala de projeções. As mesmas eram divididas de acordo com a faixa etária de cada turma e envolviam conhecimentos básicos sobre sistema solar.

Em seguida, uma sala de aula foi transformada num “Planetário”, a fim de representar o espaço de forma concreta, onde os alunos foram inseridos ao Universo e puderam observar a localização e dimensão dos planetas, as constelações, os astros e os satélites naturais. Neste ambiente representativo, os visitantes foram recepcionados pelos alunos do 6° ano Experimental, que desenvolveram a parte explicativa.

 

Planetário

Além disso, aconteceram as exposições das experiências, onde cada grupo organizou um stand com seus trabalhos relacionados e aos temas trabalhados.

 

Experiências

 

— O projeto proporcionou um dia diferente, festivo e enriquecedor de conhecimentos aos participantes. O planetário foi uma ferramenta didática e despertou a curiosidade, possibilitando o desenvolvimento do aprendizado e interesse dos alunos em relação ao tema. — afirma a diretora Glaucia.

 

Quer saber mais sobre nossas aulas de Artes?
Entre em contato com a Unidade Escolar.

E/CRE (10.19.084) E. M. Medalhista Olímpico Robson Donato da Conceição
Email: emconceicao@rioeduca.net

 


   
           



Yammer Share