A A A C
email

Terça-feira, 22/01/2019

Vale a Pena Ler de Novo: Gamificação das aulas de Matemática com Professor Rafael Costa

Tags: gamificação. games, jogos, matemática.

 

 

O presente artigo traz uma possibilidade de gamificação das aulas, tornando-as mais atrativas e dinâmicas para os alunos. Esse gamer apelidado de Corrida das Estrelas, vem sendo realizado em todos os anos do ensino fundamental (6° ao 9°), com a disciplina de Matemática envolvendo o lúdico e o tecnológico a favor de uma boa aprendizagem.

 

 

O gamer tem apresentado modificações importantes quanto à participação e à interação entre os alunos, sendo necessários poucos recursos para fazê-lo.

A nova Base Nacional Curricular Comum (BNCC) já traz em sua estrutura a recomendação sobre a utilização de tais formas de ensino:

Os significados desses objetos resultam das conexões que os alunos estabelecem entre eles e os demais componentes, entre eles e o seu cotidiano e entre os diferentes temas matemáticos. Desse modo, recursos didáticos como malhas quadriculadas, ábacos, jogos, livros, vídeos, calculadoras, planilhas eletrônicas e softwares de geometria dinâmica têm um papel essencial para a compreensão e utilização das noções matemáticas.

Para os PCNs (BRASIL, 2006):

Já se pensando na tecnologia para a matemática, há programas de computador (softwares) nos quais os alunos podem explorar e construir diferentes conceitos matemáticos, referidos a seguir como programas de expressão. Os programas de expressão apresentam recursos que provocam, de forma muito natural, o processo que caracteriza o pensar matematicamente, ou seja, os alunos fazem experimentos, testam hipóteses, esboçam conjecturas, criam estratégias para resolver problemas. (p. 88).

Especialistas também apontam os benefícios da utilização dos jogos, segundo Grando (2004), o jogo favorece o desenvolvimento da criatividade, do senso crítico, da participação, da competição “sadia”, da observação, das várias formas de uso da linguagem e do resgate do prazer em aprender.

Criando a atividade

Para criar a atividade básica é necessária uma tabela de controle de pontuação, onde faremos o somatório de estrelas (Fig. 1) e servirá para o acompanhamento dos alunos que já participaram do desafio da tabuada diário. As escolhas dos líderes (laranja), para selecionar os componentes de cada um dos grupos, tem como critério, se já conhecermos os alunos, os de maior rendimento na disciplina ou em caso de não conhecermos (1° bimestre), voluntários aprovados pela turma. Em todas as aulas da disciplina eles já, automaticamente, formarão os grupos, de forma que ninguém fique de costas para o quadro, e poderão conversar e se ajudar na realização das atividades.


Fig 1- Tabela de anotações


Tipos de Pontuações

A pontuação é dada por quantidade de estrelas. Fizemos comprovantes para serem dados aos grupos ao final de cada aula (Fig. 2). Os comprovantes são das seguintes categorias: 1,2,3,5 e 10 estrelas que deverão ser guardados pelos grupos e entregues no final do bimestre como cômputo final do placar.



Fig 2 - Sistema de pontuação


Pontuação / Estrelas

O gamer vale uma nota dez em uma avaliação chamada de Estrela, para todos os integrantes do grupo que conseguirem ficar em primeiro colocado no final do bimestre. Ficando os demais grupos com a nota proporcional a média de estrelas totais que conseguirem ganhar. A pontuação básica é feita da seguinte forma:

Cada grupo ganha por dia de aula três estrelas e seu objetivo é não perdê-las. Outras formas de ganhar estrelas são vencendo os desafios da tabuada que valem uma estrela extra, vencendo as fases bônus (Fig 3 e 4) que premia como cinco estrelas o primeiro colocado, três estrelas o segundo e uma estrela para o terceiro, e vencendo o desafio das médias que premia da mesma forma que os desafios extras.

 

Fig.3 Fases Bônus (Socrative)

 

Fig.4 Fase Bônus (Jogos no Geogebra)

 


Critério para perda das estrelas

Para evitar a perda das três estrelas diárias os grupos têm que cumprir as seguintes missões:

- Prestar atenção durante as explicações sem interrupções por motivos não pertinentes a aula.
- Ajudar a explicar e tirar dúvidas dos amigos, não deixando nenhum amigo de fora.
- Fazer as tarefas de aula e de casa.
- Vencer o desafio da tabuada.

Conseguindo cumprir as missões, as três estrelas diárias estarão garantidas.


O Líder

Papel fundamental na estrutura do grupo, o líder coordena as atividades, monitorando os outros alunos na aprendizagem, tendo como prerrogativa poder levantar a qualquer momento para ir até um integrante do seu grupo e explicar algo. Cobra o respeito as regras e resolução de atividades tendo conexão direta com o professor. Auxilia nas chamadas passando para o professor em caso de falta de algum componente do seu grupo. O líder que fizer seu papel de forma eficiente ganha um ponto extra em relação ao seu grupo.


Desafios da tabuada

Faltando de 5 a 10 minutos para o término de uma aula, fazemos uma disputa entre os grupos com três perguntas básicas sobre tabuada, potências e raízes, dependendo do nível de escolaridade. Os grupos em pares selecionam um aluno para vir a mesa do professor para tentar ganhar o desafio. Ganha o componente do grupo que acertar mais. Os grupos que pontuam mantêm o número de estrelas e os que não pontuam, ficam com uma estrela a menos. Caso tenhamos tempo, um representante de cada grupo que ganhou a disputa inicial faz uma final valendo uma estrela extra.


Fase bônus

Durante o desenrolar do bimestre temos algumas atividades extras como o Power Senha (Fig. 5), Caça aos QR codes (Fig. 7), Aplicação do ensino Híbrido (Fig. 6), jogos do Geogebra, atividades no Socrative e etc., que envolvem uma atividade diferenciada com tecnologia e formas lúdicas de trabalho.

Essas atividades como as descritas acima dão ao vencedor cinco estrelas, ao segundo colocado três estrelas e ao terceiro colocado uma estrela. Em caso de empate os grupos ganharão a quantidade de estrelas maior.

Essas atividades com maiores detalhes podem ser encontradas nos links abaixo:


PowerSenha: http://www.rioeduca.net/busca.php?Pesquisar=power+senha&psme&Escola&op=1&tp=blog

https://www.laboratoriosustentaveldematematica.com/2018/04/turbine-sua-sala-de-aula-com-power-senha.html 

QR code: http://www.rioeduca.net/blogViews.php?bid=14&id=6428

https://www.laboratoriosustentaveldematematica.com/2018/05/caca-ao-tesouro-com-os-qr-codes.html

Ensino Híbrido: https://www.youtube.com/watch?v=6pteQd4C-zo&feature=youtu.be

https://www.laboratoriosustentaveldematematica.com/2018/08/ensino-hibrido-na-matematica.html

Jogos no Geogebra: https://youtu.be/SK_Cm3jPXow

Atividades extras: http://www.rioeduca.net/blogViews.php?bid=14&id=6258

Fig.5 Fase Bonus (Power Senha)



Fig.6 Fase Bonus (Ensino Híbrido) 



Fig.7 Fase Bonus (QR codes)

 

Desafio das médias:

No teste tradicional aplicado para os alunos individualmente, faremos a média de notas de cada grupo, fazendo com que o aluno se aplique mais a essa avaliação, uma vez que sabe que sua nota ajudará a compor a média de seu grupo, deixando de ser algo apenas particular. Aplicaremos a mesma pontuação dada na fase bônus: cinco estrelas ao primeiro colocado, três estrelas ao segundo colocado e ao terceiro colocado uma estrela. Em caso de empate os grupos ganharão a quantidade de estrelas maior.


Premiação Individual

Assim como valorizamos o aprendizado coletivo, a troca de informações entre os componentes, a competição sadia, valorizamos também o esforço individual dos alunos no contexto global, conferindo aos dois alunos destaques em todas as avaliações (estrela, teste e prova) a medalha (fig.8) de honra ao mérito do bimestre.

 

Fig. 8 Premiações Individuais dos destaques da turma


Considerações finais:

Com as atividades propostas, tivemos como finalidade alcançar uma aprendizagem significativa para o educando, apresentando possíveis aplicações no ensino, incentivando novas práticas e auxiliando os professores para que orquestrem inovações no ensino. É importante caminhar no sentido de possibilitar ao educando a resolução de situações problemas e o desenvolvimento do pensamento crítico, formando um cidadão participativo e consciente do seu papel social.

Percebemos o quanto há alteração na vontade de aprender, concretização do aprendizado, conscientização do respeito as regras, convivência em sociedade e ajuda mutua.

Percebemos também o quanto a inclusão de tecnologias traz benefícios ao aprendizado e ao incentivo a participação das aulas. Corroboramos com ESCUDERO (2014), que em seu estudo sobre recursos computacionais de aprendizagem, diz que há uma tendência ou um interesse generalizado em novas tecnologias e nas Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs), mas ainda sem uso generalizado entre alunos e professores. Isso pode ser porque ainda não há internalização dessas novas tecnologias na educação. Os professores precisam motivar e incentivar o uso de novas ferramentas e abordagens pedagógicas, como o uso de ferramentas de tecnologia e TIC.

 

Bibliografia:

ESCUDERO, A. Recursos Computacionales de E-Learning y E-Teaching de Estadística. Portugal: UNED, 2014.

GRANDO, R.C. (2004). O jogo e a matemática no contexto da sala de aula. São Paulo, Brasil.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO DO BRASIL. (2017) Base Nacional Comum Curricular. Disponível em http://basenacionalcomum.mec.gov.br/ Acesso em 10 set. 2018.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Parâmetros Curriculares Nacionais, matemática e suas tecnologias. Brasília: MEC, 2002/2006/2008.

 


 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 18/01/2019

Vale a Pena Ler de Novo: Da Senzala para o Mundo, o Negro mostra o seu Valor

Tags: consciência negra, projeto, 5ªcre.

No mês de novembro de 2018, as professoras Sandra Pinheiro dos Santos (regente da turma 1301) e Marcella Cristina de Oliveira Fraga (professora de Inglês) da E.M. Barão de Itararé, desenvolveram o projeto Da Senzala para o Mundo, o Negro Mostra o seu Valor. Confira!

 

 

 

O projeto Da Senzala para o Mundo, o Negro Mostra o seu Valor foi elaborado entre os dia 5 a 9 de novembro e sua realização aconteceu no dia 13 de novembro de 2018. Os idealizadores do projeto foram as professoras Sandra Pinheiro dos Santos e Marcella Cristina de Oliveira Fraga e as turmas participantes foram: 1101, 1102, 1201 e 1301.

 

 

Professora Marcella, contando a história “O amigo do rei”, para em seguida apresentar o vocabulário em Inglês.

 

 

Com a proximidade do dia da Consciência Negra, houve um questionamento aos alunos sobre o significado da data. Os alunos mostraram muito interesse no assunto e fizeram várias perguntas, entre elas: o que os negros faziam antes de serem escravos? Como era ser escravo? Como deixaram de ser escravos? Em que trabalharam depois que foram libertos e onde foram morar?

 

 

 


O objetivo maior ao falar sobre fundamentos históricos, não era apenas apresentar uma data que consta do calendário, mas sim conscientizar e mostrar aos alunos que o negro faz parte da sociedade, que é um cidadão como qualquer pessoa e que a cor da pele não os torna melhores ou piores. A ideia era desconstruir a ideia de que os negros não têm passado, presente e futuro e que a história desse povo não começou com a escravidão.


No dia a dia da Unidade Escolar, as crianças sempre são ouvidas quanto as suas ideias, opiniões e expectativas, estimulando o protagonismo infantil. E assim, partiu da turma a proposta para o desenvolvimento do projeto, a fim de mostrar aos outros alunos da escola que os negros podem ser o que desejarem e que o preconceito racial é algo infundado. Dessa forma, a palavra principal do projeto foi “igualdade”.

 

 

 


O projeto iniciou com a contação da história “O amigo do rei”, realizada pela professora Marcella. O objetivo de contar a história foi mostrar que não somos descendentes de escravizados, e sim, de grandes homens, que um dia foram submetidos à uma grande exploração.


O livro relata a história de Matias, um menino escravo, que era amigo de Ioiô, seu patrãozinho , os dois tinham a mesma idade. Matias era filho de um rei africano que se tornou escravo, mas sempre falava para Ioiô que um dia também seria rei. Ioiô, por sua vez,  não entendia. Depois de fazerem algo que não deviam, foram castigados, fugiram da fazenda e andaram por muitos dias na mata. Até que encontraram negros guerreiros em um quilombo, que homenagearam Matias e o chamaram de rei. Matias continuou no quilombo, porém Ioiô retornou a fazenda, com saudades de sua família. Os dois se reencontram anos depois e lutaram juntos pelo fim da escravidão.

 


 

 

Outra atividade do projeto foi a dramatização de uma história. Para dar início à atividade, a professora Sandra apresentou os atores, o mapa do continente africano e a bandeira do Brasil, às crianças da platéia.

 

A dramatização foi narrada por duas alunas e teve início com um rei e uma rainha na África, fazendo seu passeio matinal. De repente, eles são capturados para viajarem para o Brasil, sem direito de escolha e aqui chegando, viveram como escravos, trabalhando nas fazendas.  Em seguida, Dom Pedro II solicitou a sua filha Princesa Isabel, que libertasse os escravos. Ela assinou a lei e os libertou.

 

 

 


Os escravos comemoraram a liberdade, porém ficaram preocupados com a sobrevivência daquele momento em diante. Sem trabalho remunerado e sem moradia, como iriam viver? Será que superariam tamanha dificuldade? Então, para a chegada dos dias atuais, foi simulada a passagem do tempo, com imagens representando os dias e as noites. Para que os alunos das turmas participantes entendessem a mensagem do teatro, foram exibidas fotos de negros famosos em diversas áreas, como médico, delegado, bombeiro militar, modelo, professor, atleta e etc, a fim de conscientizá-los da capacidade dos negros. 

Ao final da peça, todos juntos deram a seguinte mensagem:

 

- Xô preconceito!
 

- Diga não ao racismo!
 

- Somos todos iguais!

 

O texto da dramatização foi criado pelos alunos. Todos colaboraram pesquisando e produzindo as roupas para caracterização. 

A professora Marcella confeccionou um cartaz reunindo trabalhos realizados pelos alunos, com as principais palavras da história em Inglês, trabalhando assim o vocabulário da língua que leciona. 

 

Figuras relacionadas à escravidão; desenhos sobre a história “O amigo do rei” e vocabulário em inglês.

 

 

A atividade trabalhou o protagonismo infantil, a igualdade racial e o valor do negro como sujeito na sociedade.

Parabéns pelo trabalho de excelência!

 

Que saber mais sobre?

Escola Municipal Barão de Itararé

Rua Marapendi, s/nº - Marechal Hermes

Diretora: Késia Queiroz 

Diretora Adjunta: Heloisa Martiliano

Coordenadora Pedagógica: Glaucia Nassif

Telefone: 3018-2192 | 3018-2153

E-mail: emitarare@rioeduca.net 

 


 


 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 17/01/2019

Vale a Pena Ler de Novo: Projeto Manifestações Artísticas no EDI Pierre Janet

Tags: 4ªcre, projeto, arte, poesia, música fogo.

 


Espaço de Desenvolvimento Infantil Pierre Janet - Projeto: ‘’Manifestações Artísticas”



Por meio de manifestações artísticas o EDI Pierre Janet tem o objetivo de buscar o desenvolvimento do conhecimento intelectual e cultural das nossas crianças, oportunizando a vivência com a linguagem do desenho, da pintura, da dança, da modelagem, da construção, expandindo o gosto, cuidado e respeito pelo processo de produção e criação.

 

 

 

O Projeto Manifestações Artísticas foi dividido em oito etapas, uma exibição diferente em cada mês, durante todo o período letivo, sendo separadas da seguinte maneira: março - PINTURA, abril - ARTES MANUAIS, maio - POESIA, junho/julho - MÚSICA E CINEMA, agosto - DANÇA, setembro - ARTES MANUAIS COM MATERIAL RECICLÁVEL, outubro - CIRCO, e novembro - FOTOGRAFIA.

 

 

 

 

Durante as aulas, integradas ao nosso conteúdo, as atividades de pintura foram realizada pelas crianças com bastante liberdade e diversão. Aproveitando a nossa riqueza cultural, exploramos de forma intensa os pintores brasileiros como: Cândido Portinari, Tarsila do Amaral, Ivan Cruz, Romero Brito, Di Cavalcanti, Oscar Araripe, e Alfredo Volpi, abordando técnicas variadas de pintura com atividades coletivas e individuais . Em alguns momentos, as crianças produziram livremente, em outros foram direcionadas a realizar releituras dos quadros apresentados. 

 

 

 

Em artes manuais a inspiração para nossas obras foi Antônio Francisco Lisboa “Aleijadinho”. Deixamos a criatividade das crianças expandir. Elas criaram, de maneira livre, as esculturas com argila, massinha, papel machê e jornal.

 

 


A primeira exposição abordou os temas pintura e artes manuais onde as turmas demonstraram seus trabalhos em uma galeria de arte feita no pátio do nosso EDI. Nesse momento, os trabalhos retrataram quadros autorais, releituras, obras coletivas, autorretratos e criações individuais.

 

 

 


Durante a exposição, os pais e as crianças puderam realizar uma pintura, apresentar a quem estava presente e tirar fotos dentro de um dos quadros de Cândido Portinari “O menino e o pião” onde fizeram uma linda releitura. Está previsto ainda, a realização de mais três culminâncias do projeto para apresentação de outras manifestações.

 

 

 


Alguns depoimentos sobre o projeto:

 

Adjunta - Rosaria Salete: - "Sem palavras! Achei fantástico o poder de criação das crianças! Os alunos ficaram ávidos. Todos os professores agiram a todo o momento e complementaram uns aos outros. O que mais me tocou foi ver uma única turma, a turma Pierre Janet! Todos com compromisso e amor. O envolvimento dos pais foi bem integrado com a pintura e com as crianças durante a exposição."


Secretária - Sueli: -  "Eu estive no turno da manhã. Realmente estava lindíssimo, a ideia foi formidável. Desenvolver na criança a arte, para essas crianças que não tem contato, é maravilhoso. Eu achei que a ideia é para ser lembrada, divulgada, porque foi muito bonita. A equipe está de parabéns!"


PEI - Gabriela: - "Foi lindo ver o envolvimento dos pais, professores e alunos. Foi muito proveitoso."


PEI - Léa: - "Gostei! As crianças aceitaram bem algo novo, ficaram maravilhadas pelos pintores. Era algo desconhecido para elas e agora identificam as referências no dia a dia." 

Aluna - Milena EI - 54: - "Eu achei muito legal e divertido, adorei!"

Aluna - Allana EI - 54: - "Eu achei incrível! Achei as esculturas que os colegas fizeram bonitas."

Aluna - Ana Beatriz EI - 54: - "Eu gostei de desenhar os quadros."

Texto enviado pelas idealizadoras do projeto:
Daniela Jorge da Silva, professora articuladora e Gabriela Guidani da Silva Pacífico, professora de Educação Infantil.


Parabéns a Equipe do EDI Pierre Janet pelo excelente trabalho realizado!

 

Sobre o Espaço de Desenvolvimento Infantil Pierre Janet
Gestores: Terezinha de Jesus Boaventura e Rosari Salete Azevedo Russo
Professora Articuladora: Daniela Jorge da Silva
Professora de Educação Infantil: Caroline Vasconcellos Fontes do Sul
Designação: E/CRE( 04.10.806) EDI Pierre Janet
Endereço: Rua Nossa Senhora das Graças nº 699 Frente
E-mail: emjanet@rioeduca.net
Tel: 3885-2347

 

 


 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 17/01/2019

Vale a Pena Ler de Novo: Campeonato de Spelling Bee

Tags: 9ºcre, língua inglesa, soletrando, protagonismo..

 

Competição de soletrar palavras em inglês agita escola na 9ª CRE

 

O Spelling Bee é um jogo que consiste, basicamente, em soletrar palavras em inglês. Aprender a soletrar é de extrema importância, pois com prática e dedicação, o aluno gradativamente entra em contato com diferentes palavras, desde as mais simples até as mais complexas.

 

 

Aluna soletrando ao olhar atento dos professores.

 

Na Escola Municipal Professor Antônio Boaventura, da 9ª CRE, situada em Campo Grande, Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro, os alunos do 5º e do 6º ano ampliaram significativamente o vocabulário neste terceiro Bimestre, pois foram desafiados pelo professor Marcelo Berto a participar de uma grande competição que despertou um maior interesse no estudo da Língua Inglesa.

 

 

Professores e alunos concentrados na competição.

 

 

O início da competição ocorreu em Agosto e a grande final aconteceu no último dia 28/09/18, em clima festivo. O evento contou com a presença das professoras Elisa Setubal, regente da E.M. Presidente Nereu Ramos e Elaine Lopes, regente da E.M. Paulo Renato Souza no júri. A professora Elaine, na abertura do evento, brindou a plateia com uma linda apresentação musical. Os grandes convidados do dia foram os responsáveis dos participantes, que torceram e se mostraram impressionados e entusiasmados com o potencial dos alunos.

 

 

Professora Elaine fazendo sua apresentação musical.

 

 

A diretora da escola, professora Adriana Ferreira dos Santos afirma que "o envolvimento dos alunos e professores torna o Spelling Bee uma competição saudável, onde todos saem ganhando ainda mais conhecimento".

 

 

Alunos concentrados soletrando as palavras para o júri e plateia acompanhando tudo atentamente.

 

 

As vencedoras do Spelling Bee foram as alunas Melissa e Marina, ambas da turma 1602. As discentes foram presenteadas com tablets. Os vencedores do projeto foram os alunos, já que esta experiência ficará eternamente registrada em suas memórias. Cabe ressaltar que o sucesso foi tão grande que os alunos já estão aprendendo novas palavras, visando à competição do próximo ano. O projeto, além de alcançar os objetivos pedagógicos, proporcionou momentos de integração, solidariedade, motivação, protagonismo e participação das famílias, que se envolveram e contribuíram para o sucesso dos resultados.

 

 

Encerramento da competição e premiação entregue aos alunos participantes.

 

 

Para saber mais:

Unidade Escolar: Escola Municipal Professora Antônio Boaventura

E-mail: emboaventura@rioeduca.net

Telefone: 2323-7025

 

Não esqueça de deixar o seu comentário! Ele é muito importante para nós!

Até a próxima semana!

 


Contato para publicações:


   
           



Yammer Share