Rio Educa
A A A C
email

Quarta-feira, 01/07/2015

“Carioca estou, de braços abertos vou." EDI Profª Valéria Pereira de Souza Pinto

Tags: 3ªcre, rio450 anos.

 

   

 

 É com muito prazer que o EDI Profª Valéria Pereira de Souza Pinto apresenta o Projeto 2015 "Carioca estou, de braços abertos vou... Do Rio antigo ao promissor, No primeiro capítulo dessa apresentação entraremos numa viagem de resgate e glória, mergulharemos em 450 anos de história! Falaremos do Rio antigo, passando pelo Rio atual e refletindo sobre o Rio que queremos deixar para as futuras gerações.  

 

 

 

E para dar início a essa fantástica trajetória, temos a honra de apresentar o "Bailinho do EDI Valéria". O Carnaval de rua, com marchinhas antigas, Avenida Rio Branco, do confete e da serpentina. Ó Abre Alas que os pequeninos querem passar!!!!


 

 

O berçário 52 confeccionando o primeiro habitante da cidade do Rio de Janeiro: o índio! Eles já moravam aqui quando os portugueses chegaram na nossa cidade!!! E você sabia que...Índio pequeno é curumim?

 

 

Homenageamos também,o fundador da cidade do Rio de Janeiro - Estácio de Sá!! 

As Turmas 21 e 22   após identificar os numerais presentes no logotipo da comemoração do Rio 450 anos, confeccionaram com o logotipo o nosso "Jeito Doce de Ser Carioca" dando início a segunda parte do projeto "Viva a Carioquice".


 

 

Trabalhos artísticos com o logotipo Rio 450 anos 

 

 

Nossa proxima publicação apresentará a culminância dese trabalho com uma exposição fixa no Corredor Cultural do EDI. Não perca!

 

 

 

 

                               

 

 

 

 


  

Quarta-feira, 01/07/2015

Com os Olhos nos Textos e com a Mão na Massa

Tags: 8ªcre.

 

 

 

Tornar o momento da leitura algo desejado é o que a professora Daiana Sena pensou ao criar o projeto "Com a Mão na Massa". Seus alunos estão provando que sua iniciativa está no caminho certo! Hoje ela compartilha sua experiência com o Rioeduca.

 

Professora Daiana Sena e sua turminha em Roda de Leitura na E. M. Raul F. Ryff.

 

Considerando que os estudantes estão inseridos numa sociedade onde circulam diferentes gêneros textuais, é função da escola prepará-los para ler, produzir e interpretar as informações presentes nos textos.


A leitura não pode ser encarada apenas em seu caráter funcional e utilitário, uma vez que a literatura pode ser uma fonte de descoberta e colaboração para a construção da identidade, além de colocar em evidência questões e conflitos que permeiam o universo infantil.

Por considerar que “Na escola, quem propõe a fantasia, quem estimula a imaginação da criança, é o professor, quando faz boas mediações, oferecendo textos literários com qualidade” (OLIVEIRA, 2010), reconhecemos que é papel do educador estimular o contato dos estudantes com obras que despertem a fantasia e que também promovam a reflexão acerca dos temas do cotidiano. Assim, busca promover a compreensão do papel da leitura na formação cultural e acadêmica.

  

Professora Daiana Sena lendo para a turma e seus alunos fazendo a leitura de encarte de jornais.

 

Na Escola Municipal Raul Francisco Ryff, a professora Daiana Sena de Souza procura estimular a leitura de seus alunos do 3º ano diariamente.

A ideia é propor atividades lúdicas e dinâmicas construídas a partir de um texto lido coletivamente.

Essa experiência tem levado as crianças a estabelecer conexões entre o que se lê e o que se vive, despertando nelas a imaginação e múltiplas aprendizagens.

Sendo o 3º ano o período de consolidação da alfabetização, todo o empenho da professora em oferecer diferentes leituras torna-se um fator de fundamental importância para que os alunos consigam ler e sintam prazer em fazê-lo.


 

Alunos preparando biscoitinhos feitos a partir da leitura do livro: "Deliciosos Nutritivos e Feitos por Mim!". 

 

 

"Dando continuidade ao trabalho já realizado dentro do espaço escolar com o incentivo à leitura e o contato com diferentes gêneros textuais, tais como receitas, cartas, letras de música e outros, foi pertinente aproveitarmos a oportunidade de visitar o 17º Salão do Livro FNLIJ (Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil) - um espaço essencial para o desenvolvimento e formação do leitor. Tornar a leitura uma prática prazerosa e necessária, indispensável ao desenvolvimento do pensamento crítico, independente e criativo, é a proposta que trabalhamos."

            (Projeto "Com a Mão na Massa" - Professora Daiana Sena, E. M. Raul Francisco Ryff)

 

Alunos da E. M. Raul Ryff no Salão do Livro, em encontro com autor.

 

 

O Rioeduca parabeniza todos os projetos de incentivo à leitura que acontecem na cidade do Rio de Janeiro e, em especial, a professora Daiana Sena e seus alunos pelo projeto "Com a Mão na Massa".

 

*     *     *

 

Professor, entre em contato conosco e compartilhe seu trabalho!

 

 

Professora Neilda Silva

Email: neildasilva@rioeduca.net

Facebook: www.facebook.com/neilda.silva.1

Twitter: @Prof_Neilda

 

 

 

 

                               

 

 

 

 


  

Terça-feira, 30/06/2015

110 Anos de História e Ensino

Tags: 2ªcre.

 

 

 

No mês de junho, a Escola Municipal Prudente de Moraes completou 110 anos e essa data foi comemorada com muita alegria!

 

 

A Escola Municipal Prudente de Moraes foi a primeira escola construída e inaugurada na cidade do Rio, em 12 de junho de 1905, pelo Prefeito Pereira Passos. Este ano completou 110 anos de existência e toda comunidade escolar se envolveu para comemorar.


Os alunos, orientados por seus professores, produziram lindos trabalhos que envolveram pesquisas, maquetes e integração com as disciplinas Artes, Inglês, Sala de Leitura e Educação Física.


A culminância das atividades relacionadas ao aniversário da escola aconteceu com a apresentação da história do Chapeuzinho Redondo, adaptada e dirigida pela professora Maria Isabel, regente da Sala de Leitura, e encenada pelos alunos das turmas 1.501 e 1.503. Além disso, houve a leitura da história da escola pelos alunos do 5º ano, apresentação da turma 1.202 cantando uma paródia e um delicioso bolo.

 

Apresentação da peça.

 

 

Leitura da história da escola.

 

A escola estava linda e enfeitada, mostrando que toda comunidade escolar trabalhou em grupo para comemorar essa data tão especial.

 

As turmas 1.401 e 1.403, da professora Priscila Roberta, confeccionaram um mural para retratar todos os profissionais da unidade escolar, cada um identificado com uma característica especial.


 


Os alunos da turma 1.102, da professora e Coordenadora Pedagógica Monica, criaram um bolo com dizeres explicando porque gostam da escola.

 


 


As turmas 1.201 e 1.301, da professora Maria Clara, criaram um lindo mural com frases sobre a escola.

 


 

O mural confeccionado pela turma 1.301 mostra um bolo com palavras importantes sobre a escola. Já a turma do Projeto Acelera criou um acróstico com o nome da escola.

 


 

 

O sexto ano experimental criou maquetes para representar o espaço escolar. E nas aulas de Artes, os alunos da turma do Acelera construíram uma faixa em forma de vitral orientado pela professora Marta, regente de Artes, colocado na parte central da entrada da escola, juntamente com um bolo gigante feito pela professora Maria Isabel, da Sala de Leitura, em conjunto com os alunos do 5º ano.

 


 

 

Nas aulas de Inglês, os alunos produziram cartazes para homenagear os 110 anos da unidade escolar.


 

O projeto pedagógico da Escola Municipal Prudente de Moraes tem como tema “Prudente de Moraes, escola de gente que faz”. Através dos registros da comemoração do aniversário da unidade escolar, podemos perceber o engajamento de toda a comunidade para construir uma história de ensino e aprendizagem. Parabéns a todos!

 

O contato da E. M. Prudente de Moraes é empmoraes@rioeduca.net.

 

 

Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 

Renata Carvalho - Professora da Rede e representante do portal Rioeduca na 2ª CRE

renata.carvalho@rioeduca.net

 


 

                               

 

 

 

 


  

Terça-feira, 30/06/2015

Rio 450 Anos: Animação em Sala de Aula

Tags: 7ªcre, projetos.

 

 

 

Os professores Alexandre Alvim e Mayara Nespoli, ambos da rede municipal de educação do Rio, convidaram a também professora Elizabeth Paes, do Colégio Pedro II, para elaborarem um projeto interdisciplinar que motivasse a participação significativa dos alunos. A turma selecionada foi a 1502 do CIEP Lauro de Oliveira Lima da 7ª CRE.

 

 

A chegada e a rápida propagação da tecnologia digital nas últimas décadas do século XX abriram precedente para que as novas tecnologias começassem a ser utilizadas no cenário educacional. Os alunos de hoje representam as primeiras gerações que cresceram com essas novas tecnologias, o que permitiu, a partir daí, uma ruptura com o paradigma tradicional.

 


 

O objetivo era propor um desafio para estimular a autonomia dos educandos. A turma selecionada foi a 1502 do CIEP Professor Lauro de Oliveira Lima, da 7ª CRE. É interessante destacar que a professora regente Ana Reis foi de fundamental importância para que realizássemos a atividade.


A partir de um tema gerador, os 450 anos da cidade do Rio de Janeiro, o objetivo principal era trabalhar de forma interdisciplinar. Idealmente, estávamos em busca de uma prática que se apresentasse inédita aos alunos.

 

 


Assim, utilizar o gênero textual "canção" associado à técnica de animação como um recurso pedagógico contribui para que o educando tenha uma nova experiência com o conteúdo. Os alunos conseguiram compreender não só o gênero textual como matéria escolar, mas como prática social de leitura e escrita. Percebe-se que, então, através do projeto interdisciplinar proposto, os alunos se tornaram sujeitos da sua própria aprendizagem.


Pensar em animação colaborativa implica em ampliar os planos e as percepções. Pensar animação envolveu construir uma história, um roteiro, além da consciência da sequência pelo quadro a quadro. O processo de elaboração das animações possibilitou discussões de outras questões normalmente ausentes na sala de aula, mostrando-se rico em vários sentidos. Possibilitou, por exemplo, a resolução de problemas em conjunto, despertou o senso crítico, estético, e a quebra da hegemonia de uma forma padrão.

 

 

Em função da mudança de plano, do suporte e sua posição, ou seja, ao sair do plano horizontal, em geral com papéis ou objetos sobre a mesa, para o plano vertical, com o quadro branco, não pudemos deixar de observar que o próprio autor do desenho, o aluno, esteve presente na cena com seu corpo. Colocamos o aluno para interagir com a imagem, considerando que o retiramos da cadeira, dando a liberdade dele ser sujeito ativo, produtivo e dialógico. Estamos em tempos de ampliar e integrar linguagens, e vemos uma clara possibilidade de ultrapassar a ideia da "animação simples", cedendo espaço para uma criação artística individual e conjunta.

 

                                         Alunos aprendendo a editar no aplicativo Movie Maker.

 

    A professora regente Ana Reis da turma 1502 e o professor Alexandre Alvim.

 

Os docentes Alexandre Alvim, Mayara Nespoli, Elizabeth Paes e Ana Reis ficaram bastante honrados em ter participado de um processo tão rico e vibrante que mobilizou uma turma inteira. Foi interessante perceber, também, a partir dos relatos dos próprios alunos da turma 1502 do CIEP Lauro de Oliveira Lima, que, apesar de morarem na cidade do Rio de Janeiro, praticamente não a conhecem. A partir desse trabalho, aflorou neles o desejo de pesquisar e ir visitar os locais que desenharam na animação.

 

 

                                                                        Uma das animações feitas.


 

 

 

Parabéns aos professores e alunos pelo trabalho realizado!

 

 

Contato da professora Mayara Nespoli:

mayaranespoli@gmail.com

Contato do professor Alexandre Alvim:

alexandrealvim@gmail.com

 

Contato do CIEP:

 

ciep301@rioeduca.net

 

 

Contato para publicações:

robertavitagliano@rioeduca.net