A A A C
email

Segunda-feira, 19/11/2018

Elaboração dos Estatutos dos Grêmios Estudantis da sua Escola

Tags: grêmio estudantil.

 

Atenção Diretorias Executivas dos Grêmios Estudantis, chegou a hora de colocar no papel suas ideias e ações!!!

 

 

O Grêmio já está em atividade há alguns meses, por isso é preciso estabelecer um Estatuto, onde o grupo de estudantes da sua escola, junto com vocês, devem elaborar os acordos e definir as formas do seu funcionamento.


Lembre-se que o Grêmio é um espaço para que todos os alunos exercitem a participação e ajudem a construir uma escola cada vez mais inclusiva e plural.

 

 

Vamos conversar sobre o Estatuto do Grêmio Estudantil

 

 


Para isso, Diretores de Unidades Escolares e Profissionais de Apoio dos Grêmios Estudantis a parceria de vocês é fundamental neste processo, para que os estudantes possam viabilizar espaços de encontros e discussões para a elaboração dos Estatutos dos Grêmios Estudantis da sua Escola.


As orientações para a construção dos Estatutos foram disponibilizadas através da Circular E/SUBE/NIAP nª 02 .

 

 

Orientações para elaboração do Estatuto

 

 

Lembre-se que os Estatutos elaborados pelos estudantes devem ser enviados para as Coordenadorias Regionais de Educação com cópia para o Núcleo Interdisciplinar de Apoio às Unidades Escolares – NIAP, através do e-mail gremio.sme@rioeduca.net até o dia 19 de dezembro.


No início do ano letivo de 2019, as Diretorias Executivas dos Grêmios Estudantis receberão de volta seus Estatutos certificados pelo Selo dos Grêmios Estudantis SME/RJ.


Então...Vamos Conversar sobre Estatuto?


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 19/11/2018

Fica a Dica: Identidade Cultural - O Samba

Tags: dicas, educação musical, cultura, samba.

Fica a Dica: Identidade Cultural – o Samba

 

Olá!


Hoje vamos falar um pouco sobre a nossa identidade cultural. Sabemos que o Brasil sofreu várias influências, principalmente, da cultura europeia, indígena e africana. Outros imigrantes também contribuíram nessa formação.


Nossa música tem em suas raízes muitos reflexos dessas três vertentes. Mas não só na música observamos essas influências. Nossa comida, festas, danças, entre outros, também são formados através da miscigenação de diversas origens.


Aproveitando que estamos na semana da consciência negra, podemos falar um pouco da nossa identidade cultural.


A influência africana na nossa música está presente, principalmente, no nosso gênero musical mais conhecido: o samba.


O samba é considerado um gênero genuinamente brasileiro, um dos elementos culturais mais representativos da nossa cultura. Na sua instrumentação apresenta violão, cavaquinho, percussão, entre outros.


“O samba foi introduzido no Brasil no período colonial pelos escravos africanos sendo, portanto, um estilo que provém da fusão entre as culturas africana e brasileira. Inicialmente, as festas de danças dos negros escravos na Bahia eram chamadas de "samba". A manifestação durante muito tempo foi considerada um estilo de música e dança criminalizado e visto com preconceito, devido às suas origens negras.” (https://bit.ly/2B6h5lu)


Sobre a origem da palavra, alguns autores consideram que a palavra “samba” tem origem em “semba”, que significa “umbigada” e que caracterizava um tipo de dança.


“Geralmente, as letras de sambas contam a vida e o cotidiano de quem mora nas cidades, com destaque para as populações pobres. O termo samba é de origem africana e tem seu significado ligado às danças típicas tribais do continente.” (https://bit.ly/2K38mn3)


Em 1917 foi gravado o primeiro samba no Brasil. Chama-se “Pelo Telefone” e foi composto por Mauro de Almeida e Donga, cantado por Bahiano.


Há diversos tipos de samba, que variam, inclusive, de região para região: samba de roda, partido-alto, samba-enredo, samba-canção, samba-exaltação e pagode são alguns deles.


No Rio de Janeiro, o samba está bastante presente no nosso dia-a-dia. No dia 2 de dezembro, data em que é celebrado o Dia Nacional do Samba, temos o famoso “Trem do Samba”, onde são feitas apresentações de grupos de samba e pagode durante um período determinado e que leva os integrantes até Oswlado Cruz, subúrbio do Rio, onde esses grupos se encontram pra comemorar a data.


Além disso, temos o samba-enredo, presente no nosso carnaval, nos desfiles das escolas de samba, marco tradicional da nossa cultura e considerado o maior espetáculo da Terra.


Nosso patrimônio cultural é riquíssimo e é importante o trabalho em sala de aula com nossos alunos sobre a nossa cultura e as nossas tradições. É relevante que eles saibam quais povos formaram e formam a nossa herança, assim como o respeito à diversidade cultural, tema enfocado, inclusive, pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Precisamos lembrar, também, que os objetos vivem em constante processo de transformação, em circularidades culturais, transformando-se ao longo do tempo.


Nessa dica de maio/2018 (http://www.rioeduca.net/blogViews.php?bid=16&id=6597), falamos sobre o trabalho com gêneros musicais e citamos a aula sobre samba encontrada na plataforma Educopedia (www.educopedia.com.br) e que pode ser acessada com o e-mail institucional Rioeduca ou como visitante. Aproveite!


Deixo aqui mais uma sugestão de leitura pertinente ao tema do Portal do MEC. Clique aqui para acessá-lo.

 

E aí, gostaram da nossa dica da semana? Escreva pra gente!!! smiley

Fica a Dica! 

 


 


   
           



Yammer Share

Domingo, 18/11/2018

Curso Alertas a Riscos de Saúde Mental em Jovens

Tags: curso, redes sociais, internet.

 

Curso Alertas a Riscos de Saúde Mental em Jovens decorrente do uso de redes sociais e smartphones

O uso de tecnologias comunicação, tais como smartphones e redes sociais, tem causado uma série de mudanças comportamentais e problemas de saúde mental. Um estudo publicado pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) mostrou que 40% dos professores de escolas localizadas em áreas urbanas já ajudaram algum aluno a enfrentar situações desconfortáveis ocorridas durante o uso da internet, como bullying, discriminação, assédio e compartilhamento de imagens sem consentimento.

Instituto Nacional de Psiquiatria do Desenvolvimento para Crianças e Adolescentes (INPD) e Telemedicina FMUSP, através do Eixo de Transferência do Conhecimento para a Sociedade, lançam o curso Alertas a riscos de saúde mental em jovens decorrente do uso de redes sociais e smartphones. O objetivo é conscientizar jovens e seus responsáveis sobre os perigos envolvendo tecnologias de comunicação, bem como desenvolver senso de responsabilidade e boas condutas.  

 

As incrições ainda estão abertas até essa semana.

Inscreva-se aqui!


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 16/11/2018

Água, Terra, Fogo e Ar: Brincando com a Natureza

Tags: 10ªcre, creche.

 

A Creche Municipal Josepha Ferreira da Costa desenvolve o Projeto “Água, Terra, Fogo e Ar: brincando com a natureza”, com o objetivo de vivenciar as noções que os 4 elementos da natureza nos remete.

 

A Creche Municipal Josepha Ferreira da Costa está localizada ao Caminho do Areal, 12 - Guaratiba, Zona Oeste do Rio de Janeiro. A unidade atende 6 turmas, com 150 alunos do berçário ao Maternal II. Tem como diretora, a professora Tereza Lima, como diretora adjunta, a professora Fabiane Rodrigues e, como Professora Articuladora, a professora Tainara de Moraes.

 

O projeto anual da unidade “Água, Terra, Fogo e Ar: brincando com a natureza” foi escolhido a partir do interesse dos alunos, responsáveis e educadores pela natureza e sua preservação. Interesse esse, que foi alimentado pelo projeto pedagógico do ano anterior “Um planeta habitado por histórias: Mergulhando na aventura ecológica da Josepha”, no qual foram estimulados conceitos de preservação, reciclagem e valorização da natureza.

 

Equipe EI-21 (educadores, alunos e responsáveis) comemorando a chegada da Primavera, com os girassóis que vão brotar na estação 

 

O projeto tem sido desenvolvido durante todo o ano letivo, através de diversas atividades lúdicas como: peças teatrais, exploração da natureza e de seus elementos, cantigas, histórias infantis, visita a áreas verdes, brincadeiras, cineminha, artes, a fim de tornar o aprendizado prazeroso. Reuniões semanais com os educadores servem para planejar, avaliar e replanejar a realização de cada etapa.

A preocupação da instituição é fazer com que alunos, pais e responsáveis tenham consciência sobre a preservação do meio ambiente e a todos os benefícios que ele nos traz. A partir daí, foram apresentados os quatro elementos da natureza de diversas formas.

O projeto desse ano veio para concretizar e reiterar nossa preocupação em trabalhar com temáticas que envolvam o meio ambiente e a sustentabilidade. Toda a comunidade foi envolvida e isso refletiu de forma positiva na aprendizagem das crianças, que começaram a contagiar os pais com tudo o que vivenciaram no ambiente escolar. afirma a diretora, professora Tereza da Conceição Rodrigues Lima.

 

Turma EI-22 em apresentação sobre o Sapo, que é muito importante para o combate ao mosquito da dengue

 

Na educação infantil, a criança aprende, principalmente, através da exploração. Pensando nisso, o projeto proporciona inúmeras descobertas e aprendizagens a partir da prática e da interação com o meio ambiente, além de despertar nas crianças alguns questionamentos: Onde esses elementos existem em nossas vidas? Como podemos senti-los? Estas questões permeiam o projeto da unidade escolar e nos aproxima da natureza, das outras pessoas, dos animais, dos vegetais, e de nós mesmos.

Ao decorrer do projeto anual, o “brincar” e a “natureza” se interligam e se misturam de uma forma encantadora, tornando inesquecível cada descoberta e cada experiência nova na vida dos alunos.

Os principais objetivos do projeto são: reconhecer que a preservação do meio ambiente é a melhor forma de preservação; explorar o meio ambiente, respeitando a natureza; observar os fenômenos da natureza (chuva, sol, ventos, trovoadas...); conhecer e explorar os quatro elementos da natureza; conhecer as estações do ano e suas principais características; conhecer os principais cuidados que devemos ter com o nosso corpo para a preservação da saúde; desenvolver percepções tátil, olfativa, gustativa, auditiva e visual através de experiências; desenvolver o gosto por uma alimentação saudável como forma de preservação da saúde; reconhecer a família e os grupos sociais em que estamos inseridos; explorar onde e como cada elemento existe em nossa vida; desenvolver o espírito investigativo, despertando a curiosidade e o gosto pelas descobertas; estimular a convivência com o outro e com a natureza; registrar, através de vários tipos de textos, modelagens, fotografias, vídeos etc.; vivenciar noções que o fogo nos remete, como temperaturas (quente, frio), dia e noite (claro e escuro); vivenciar noções que a terra nos remete, como a germinação de uma planta e arte produzida com o barro; vivenciar noções que a água nos remete, como seu uso nos hábitos de higiene e limpeza, a água que bebemos, a água que nutre e vivenciar noções que o ar nos remete, como a nossa respiração, o vento, noções de peso (leve e pesado).

 

Alunos da turma EI-31 representando a chuva, que molha nossa terra e faz germinar as plantas

 

A unidade escolar desenvolveu outros projetos no decorrer do ano letivo, são eles: Seja bem-vindo, amigo!, A natureza está em festa! É carnaval!, Maratona de leitura, Os índios são amigos do boi-bumbá e do meio ambiente e Os quatro elementos e a mãe natureza.

Os trabalhos desenvolvidos têm proporcionado aos alunos e à comunidade, ricas experiências e reflexões sobre o cuidado com os recursos naturais e sobre os benefícios à saúde dos seres vivos.afirma a Professora de Educação Infantil Patrocinia Passos.

O projeto se desenvolveu de forma muito positiva no Maternal II. Fizemos um xilofone de águas coloridas, que faz o maior sucesso na nossa banda de percussão e voz! O xilofone faz parte do tema “Sons das Águas”, onde também experimentamos o silêncio e até o som produzido com as mãos tocando uma bacia cheia d’água. Trabalhamos também com o tema “Pé de barro”, onde fizemos impressões de partes do corpo no barro e como também tintas feitas da mistura do barro e guache. O elemento “AR” foi trabalhado a partir do sopro do lobo (da história “Os três porquinhos”), cujo tema “O lobo soprou, soprou e o que voou?”. E a foto do Museu Nacional em chamas no jornal, foi ponto de partida para a pesquisa do elemento fogo, cujo tema ficou: “Fogo toma Museu Nacional”. – afirma a Professora de Educação Infantil Ana Rosa Azevedo.

 

Maternal I (EI-22) no trabalho com as “bolinhas coloridas”


 

Quer saber mais sobre o nosso trabalho?
Entre em contato com a Unidade Escolar.

E/CRE (10.26.604) C. M. JOSEPHA FERREIRA DA COSTA
E-mail: cmjfcosta@rioeduca.net

 

 

Contato para publicações:


 


   
           



Yammer Share